Não podemos chegar à verdade sem antes perceber “o erro”: mais uma de Kenneth Wapnick

“Não podemos chegar à verdade sem primeiro olharmos para o erro. Este não é um curso em amor e beleza, em verdade e paz e alegria. Este é um curso em olhar para o erro. Em olhar para a devastação do sistema de pensamento do ego. (…) O sistema de pensamento do ego não tem nenhum poder para nos tirar a luz, mas não poderemos saber isso se não olharmos. E, primeiro, temos que reconhecer que há algo ali para o qual estamos a olhar, o que significa reconhecermos o ego em nós mesmos, não os egos dos outros. Não há outros. Tudo é uma projeção do que está na mente. Assim, usamos o que projetamos para retornar à fonte da projeção. O ego usa a projeção para se preservar a si próprio. (…) O mundo – uma projeção – é um “retrato externo de uma condição interna.” Essa é a única esperança. E, de volta na mente podemos finalmente regressar à causa; e uma vez na causa, podemos mudá-la. Eu não posso mudar a causa da aflição se tentar mudar algo no mundo. Isso é exatamente o que o ego quer. Eu só poderei mudar a causa da aflição e da dor se voltar à sua fonte, que está na mente, e é a causa”.
Kenneth Wapnick, em “You can’t get to the truth until you first look at the error” (novembro de 2004).

Esse provocativo parágrafo acima é a transcrição de parte de uma palestra de 2004 do psicólogo americano Kenneth Wapnick (1942-2013), que durante vários anos foi um dos principais orientadores de Um Curso em Milagres, um estudo de auto-conhecimento teológico que usa conceitos do Vedanta e da psicologia de Freud e que também re-interpreta a mensagem cristã segundo fontes inspiradas pela também psicóloga americana Helen Schucman. Nesse trecho há uma das afirmações seminais do Curso, “O mundo é um retrato externo de uma condição interna“, que, por si só, já daria uma vida inteira de assunto para reflexão e aprofundamento.

Mas o destaque desse parágrafo é o foco na necessidade incontornável de encarar o erro, que é provocado pelo ego. Que erro? O erro de perceber o mundo como algo externo, e si mesmo como vítima dele, e todas as consequências disso, que o Curso afirma serem geradas pelo sistema do ego. Alguns podem perguntar: mas qual o problema de fazer um estudo focado no amor, na beleza, na paz e na alegria? Teoricamente, nenhum. São coisas muito inspiradores, na verdade, que inevitavelmente serão experimentadas com a verdade. Mas, na prática, e isso é uma visão minha, não do Dr. Wapnick (embora possa haver alguma semelhança), o que acontece são distorções e auto-enganos em sequência inumerável, em muito maior quantidade e extensão do que podemos imaginar, porque o ego é um profundo e sagaz mecanismo de negação e resistência, constante. Como o próprio Wapnick descreve, é necessário olhar para “a devastação do sistema de pensamento do ego“. Ou seja, é um sistema, uma estrutura, e é devastadora. No fundo, talvez só estejamos na condição humana que estamos devido a essa devastação, à confusão e sofrimento que ele causa. Talvez a necessidade de estudar a si mesmo, de se envolver com auto-conhecimento, seja justamente causada por uma imersão quase completa (ou completa de fato) nesse sistema de pensamento do ego. Nesse sentido, até mesmo alegria, amor, paz e beleza podem ser completamente manipulados pelo ego.

Se a iluminação, como alguns mestres tentam esclarecer, é a recuperação da capacidade de “ver as coisas como são”, que seria a extinção da ignorância, pode-se concluir facilmente daí que, como o Curso em Milagres, estamos vivendo em um erro de percepção. Dar-se conta dele é essencial. Sri Nisargadatta Maharaj, um célebre mestre de Advaita Vedanta da Índia, dizia que “Não é o que você faz, mas o que você deixar de fazer que importa”.

Os ensinamentos do Curso não são imensamente populares, e o próprio Wapnick falou certa vez que “era para relativamente poucos, porque é muito assustador, e ameaça a própria fábrica da nossa existência”. E ainda há a inspiração e as menções capitais à figura de Jesus, em espírito, que pode soar estranho (ou mesmo inverossímel) a muitas pessoas. Ainda assim, para quem quiser assistir ao vídeo completo em que Kenneth Wapnick faz a palestra de 2004 sobre a visão de Um Curso em Milagres (UCEM), ela segue abaixo, com legendas em português disponíveis nos controles do vídeo:

//////////

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *