Qual é o propósito da meditação? Qual é a utilidade de uma mente quieta? Respostas de Sri Nasargadatta Maharaj

Quando o assunto tem essa envergadura e importância no caminho da vida, é salutar consultar os mestres. Esta consulta sobre meditação está nas fontes dos discursos do sábio indiano Sri Nisargadatta Maharaj (1897-1981), mais especificamente registrada no livro “Eu Sou Aquilo” (I Am That) , a obra mais popular entre as publicações dos seus ensinamentos.

Como em vários discursos já feitos sobre meditação, o Maharaj fala aqui sobre se tornar a “testemunha pura“, na resposta da segunda pergunta (de três) abaixo. Mas como já ouvi algumas pessoas usando essa expressão em conversas sobre a meditação, falando algo como “o negócio é se tornar a testemunha”, acho que pode ser importante observar que colocar isso como meta é fundamentalmente equivocado. Isso não é uma meta, é um estado que é revelado, percebido, conforme a identificação com estados impermanentes vai se esmaecendo. Assim, a primeira resposta do Maharaj é mais valiosa do ponto de vista da prática, pois trata da experiência de familiarização com o mundo interno de pensamentos e sentimentos.

Mais de Sri Nisargadatta Maharaj aqui.

Perguntador: Todos os professores aconselham e meditar. Qual é o propósito da meditação?
Maharaj: Todos conhecemos o mundo externo das sensações e ações, mas nosso mundo interno de pensamentos e sentimentos sabemos muito pouco. O propósito primordial da meditação é se tornar consciente de, e se familiarizar com, nossa vida interior. O propósito último é alcançar a fonte da vida e da consciência. A prática propositada da meditação afeta profundamente nossa personalidade. Somos escravos do que não conhecemos; do que sabemos somos mestres. De qualquer vício ou fraqueza em nós mesmos descobrimos e entendemos suas causas e seus funcionamentos, nós os superamos pelo próprio saber; o inconsciente se dissolve quando o trazemos à consciência. A dissolução do inconsciente libera energia; a mente se sente adequada e se torna quieta.

 

Perguntador: Qual é a utilidade de uma mente quieta?
Maharaj: Quando a mente está quieta, nós viemos a nos conhecer como a testemunha pura. Nós nos retiramos da experiência e do experimentador e ficamos aparte em consciência pura, que está entre e além desses dois. A personalidade, baseada na auto-identificação, em se imaginar como sendo algo: “Eu sou isso, Eu sou aqui”, continua, mas somente como uma parte do mundo objetivo. Sua identificação com a testemunha se quebra.

 

Perguntador: Até onde posso entender, vivo em muitos níveis e a vida em cada nível precisa de energia. O ser por sua própria natureza se deleita em tudo e suas energias fluem externamente. Não é um propósito da meditação represar as energias nos níveis mais altos, ou empurrá-las de baixo pra cima, de modo que possibilite os níveis superiores florescerem?
Maharaj: Não é tanto uma questão de níveis, mas de gunas (qualidades). A meditação é uma atividade sátvica e almeja a completa eliminação de tamas (inércia) e rajas (motricidade). O satva puro (harmonia) é a liberdade perfeita da preguiça e da agitação.

//////////

Foto de Conrad Kuiper (licença de uso BY-NC-SA do Creative Commons)

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo capital.

13 Comentários

    • Não tem como a gente atingir a iluminação, é algo impossível. Já somos seres iluminados, só não temos o conhecimento disso ainda. Perdemos dias e dias da nossas vidas sonolentos e fora de si, o real sentido da sua pergunta que observo é: em relação ao Despertar.

      Devamos despertar e nos tornar livres, e as vezes até de nós mesmos.

    • Oi Catarina,
      Meu nome é Nando, está no início dos textos e no rodapé do site.
      Medito há vários anos, dificilmente me engajaria por algo assim que não tivesse experimentado ou praticado. Pensei até que estava implícito. A segunda pergunta é controversa (como Ezequiel e RB já adiantaram), mas achei bem humorada. :-)
      Namastê,
      Nando

  • Muito bom seus artigos Gostaria de lhe sugerir uma leitura sobre uma filosofia pouco conhecida chamada Um Curso em Milagres é um sistema de pensamento Puramente Não-dualista que busca acordar os estudantes para nossa verdadeira realidade. contem uma lição para cada dia do ano alem de um livro texto e manual para professores. Parada do julgamento, eliminar o ego são algumas das características dele
    Leia esse outro livro que serve de introdução(como veio a surgir princípios básicos etc)
    http://pt.scribd.com/doc/39492411/

  • Parabens ao Nando, autor do blog. Estou começando agora a ler os textos daqui. Felizmente, descobri por acaso, através de outro blog.

    Me desculpe a pergunta que voce ja deve estar cansado de responder, mas qual o conselho vc daria para quem deseja aprender a meditar? Acha possivel aprender a meditar sozinho, ou só seria possivel com a ajuda de um ‘mestre’?

  • Um questionamento que normalmente ocorre – formulado por aquele eu questionador e prisioneiro de sistemas- é sobre como alguns minutos de meditação podem ter efeito sobre todos os demais momentos. Veja, sou apenas um diletante, mas vejo que há uma sutil modificação na nossa noção de tempo quando simplesmente descobrimos a possibilidade de vencer o curso das agitações que, afinal, nos impedem de viver o agora. Uma significativa modificação se estabelece quando aceito, como principiante, que posso retornar a este estado de restauração da paz em meu mundo.

  • Muito bom! Queria compartilhar algo com vocês se não se importarem : Minha vida é um completo caos! principalmente em relacionamentos. Após me questionar sobre oque acontecia , o porque disso e aquilo, descobri esse caminho da espiritualidade ou evolução pessoal ( não gosto de dar nomes a isso ) e tudo mais. Comecei a estudar, lia muito e quando cheguei a ler OSHO e logo em seguida o poder do agora , algo muito intenso, muito divino aconteceu e eu não sei explicar e nem consigo voltar a sentir aquele estado novamente! não tenho palavras para descrever ! durante a leitura que fazia, senti uma sensação de extrema leveza , de um silencio interno, um ahh! que nunca antes senti! não sei. Só sei que aquele estado ficou presente por alguns dias e logo “desapareceu” digamos assim. Estou buscando essa paz novamente ou um modo que se torne continuo. Acredito que alguns aqui já devem ter tido essa experiência e eu só queria compartilhar oque vivenciei. OBRIGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *