Mooji e a percepção clara da vida: “Não tente se livrar dos apegos, apenas reconheça o que os observa”.

Difícil que a compreensão sobre os apegos e “o que fazer” com eles fique mais simples, e ainda assim íntegro, do que nessas palavras de Mooji nesse vídeo de 7min, gravado na sua passagem no Brasil em março de 2008 (com tradução simultânea em português feita durante a gravação). O jamaicano Mooji, nascido Anthony Paul Moo-Young (1954), foi um artista de rua em Londres que passou por grandes transformações espirituais e acabou como discípulo do mestre indiano H.W.L. Poonja (1910-1997), hoje morando em Portugal e viajando o mundo em encontros (satsangs) sobre auto-conhecimento e o despertar. Esse vídeo foi gravado em 1º de março de 2008, em Ubatuba (SP), Brasil.

“Apenas observe o que aparece de uma posição de neutralidade total, você tem o poder de fazer isso, não é difícil, a maior parte do tempo você já faz isso, você já faz isso com várias coisas, porque você não tem nenhum relacionamento em particular com elas. Você pode ver esses dois objetos aqui (mostrando um retrato de Ramana Maharshi e um guardanapo), você pode ver ambos com igual claridade, mas se você tiver um relacionamento diferente com este (mostrando o retrato), então é esse que provavelmente vai lhe causar problemas, não este aqui (mostrando o guardanapo). A maior parte das coisas que você vê no mundo não lhe causam problemas, porque você não tem nenhum sentimento especial por elas, você geralmente é perturbado pelas coisas que se tornaram valiosas pra você.”
~ Mooji, no vídeo abaixo

Apenas uma observação sobre a parte do “não ter interesse“. Talvez isso se perca nas palavras, mas o significado de “não ter interesse” não está apontando para ficar indiferente ou desprezar a realidade e as experiências de vida, pelo contrário. “Não ter interesse” é não ter uma intenção particular prévia ou um desejo pessoal individual (a partir de quem achamos que somos separadamente). Com a visão clara e a percepção pura, como denominou Mooji, sem o tal interesse “meu”, as relações também ficam mais claras e puras, e os interesses mais verdadeiros. Há possibilidade de conhecer o objeto ou a idéia ou a pessoa intimamente. Como Mooji diz, “essa percepção clara tem que ser experimentada com todo seu Ser“. Há um post que fala um pouco sobre isso: “Desapego é envolvimento e intimidade com as coisas como são”: Michael Stone faz uma nova tradução para o desapego“.

Segue o vídeo do satsang com Mooji:

//////////

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

5 Comentários

  • Partilho da mesma percepção que você tem Nando! O Mooji tem um talento admirável para tornar clara e simples a compreensão destes temas profundos. É sem duvida dos mais importantes mestres da arte do Satsang. Torna mais aguçada e perspicaz a nossa visão, consciencializando-nos daquilo que geralmente permanece inconsciente e nos passa despercebido. Arranca-nos da perspetiva do condutor de automóvel, para nos elevar à do piloto de helicóptero. Com certeza que merece inteiramente que você chame a atenção para ele, aqui no seu site! Obrigado! :)

  • A iluminação é o desfrutar da realidade como ela é sem apego, e o apego é relativo a essa ideia limitada sobre quem somos, o ego, essa personalidade que habituamos a aceitar como sendo o que somos, um corpo e um nome e todas as estórias que o alimentam. E no entanto nós somos anteriores a tudo isso, somos o espaço onde tudo isso se manifesta. A nossa essência é perfeita tal como é e aquilo que ela é não pode ser definido apenas vivenciado em todas as suas múltiplas manifestações.
    http://paulorenatoconsultor.blogspot.pt

  • O Mooji nos mostra o caminho para casa…
    Todos temos esta busca por nós mesmos.
    É possível silenciar a voz que fala sem parar dentro de sua cabeça?
    Onde está a presença Real de Deus em nosso Ser?
    O Mooji é muito profundo em seus comentários e ao mesmo tempo muito simples, afinal, Deus é a máxima simplicidade, daí a dificuldade em nos encontrarmos.
    Sempre tive esta busca! E me foi revelada. Como é simples e belo o nosso Ser…

    Por favor, faço o convite para que leiam: http://sdrv.ms/GVSUHQ

    Muita luz em sua caminhada pela vida, esta incrível aventura!
    Sinta sempre a brisa do sopro de Deus em tua face…

    Paz!
    Nemastê!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *