A arte de fazer o que a consciência lhe diz, na orientação de Paramahansa Yogananda

“Enquanto não tiver alcançado a sabedoria, quando vier a tentação você deve antes de tudo interromper a ação ou a vontade de agir, e então raciocinar. Se tentar raciocinar primeiro, será compelido, contra sua vontade, a fazer justamente o que não quer, pois a tentação vencerá a razão. Diga simplesmente: “não”, levante-se e vá embora.

Quanto mais desenvolver o poder de dizer “não” durante a intrusão da tentação, mais feliz você será, pois toda a alegria depende da capacidade de fazer o que a consciência lhe diz que você deveria fazer.

Poucas pessoas neste mundo tentam conscientemente desenvolver os potenciais do corpo, da mente e da alma. As demais são vítimas de circunstâncias do passado. Caminham penosamente, empurradas por hábitos errôneos do passado, desamparadamente vencidas por sua influência, lembrando apenas: “sou um homem nervoso”, ou “sou fraco”, ou “sou pecador” e assim por diante.? Depende de cada um de nós cortar, com a espada da sabedoria, as cordas de nossa servidão, ou continuar atados.”

— PARAMAHANSA YOGANANDA

 

Muitas pessoas entram em terapia ou buscam soluções para a vida com uma dúvida fundamental: “você acredita que é possível mudar?”. Essa é a resposta de Yogananda (“Autobiografia de um Iogue”), que aponta basicamente que sem PARAR, e sem ouvir o que a própria consciência nos diz, não há saída a não ser repetir uma série de automatismos inconscientes, nos identificando como vítimas das circunstâncias ou características imutáveis.

/////////

Arte: Buda Shakyamuni.

Reprodução do texto: @manifesto_visionario

Este post foi escrito por

Sobre o autor Psicoterapeuta Gestalt e jornalista, Nando Pereira é autor do livro "Para Abraçar a Prática" (240pp, 2019) e coordenador da Mentoria de Meditação, "30 dias para transformar sua prática".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *