“O que você encontra no outro é a sua projeção”: negação e projeção com Ram Dass

“O que você encontra no outro é a projeção da sua própria evolução”.
RAM DASS? (1931-2019)

Essa frase costuma causar uma de três reações mais imediatas, todas de negação. A 1ª é a de rejeitar frontalmente, “não acredito nisso”, como uma demonstração de ausência de suficiente auto-observação, e também de orgulho de uma pretensa superioridade sobre os outros. A 2ª é a de aceitar parcialmente, “talvez seja assim” (em parte dos casos, ou em parte do tempo), uma dúvida que demonstra a falta de profundidade na observação dessa realidade, e a resistência ao aprofundamento. A 3ª é a mais “espiritual”, é aquela que aceita totalmente na superfície, “tenho consciência disso”, mas, na vida real, a atitude continua sendo de julgar e dividir, só que, agora, invisibilizada pela idéia de que há aceitação e compreensão.

E há também, claro, a aceitação legítima, naquele que aceita e estuda na sua realidade o relacionamento com o(s) outro(s).

O que encontramos no outro é a projeção da nossa própria evolução porque o nosso mundo parte de nós mesmos e é, assim, uma projeção nossa. Percebemos no outro o que percebemos em nós mesmos. E isso varia de acordo com nosso grau de evolução. No fundo, não importa tanto se estamos defronte a um grande jardim maravilhoso, se estivermos tristes ou irritados, teremos raiva do jardim ou fecharemos os olhos.

Mas o ego se baseia no contrário, por isso a resistência. A condição essencial que o ego constrói para si é que o mundo externo deve ser diferente do meu interno.

“Ninguém vê nada de verdade. Sö vê os próprios pensamentos projetados pra fora”.

Resistentes ou não, contemplemos.

//////////

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *