Uma animação chinesa que mostra dois capítulos do famoso Sutra do Lótus budista [VÍDEO]

Uma animação em 3D chinesa dramatizando os capítulos de Introdução (1) e Tato (2) do Sutra do Lótus, considerado um dos mais importantes entre todos os Sutras budistas. Para os apreciadores da mensagem do Buda, as imagens onde ele aparece, mesmo em animação não muito rebuscada, são inspiradoras. O vídeo de 7min50seg é falado em mandarim e contém legendas em inglês:

//////////

Compartilhado por Norma de Andrade Cardoso.

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

5 Comentários

  • Gente,
    O assunto me é um tanto familiar, por isso a ousadia:

    Na prática diária – ‘Gongyo’, em frente ao ‘Gohonzon’ – pergaminho com um diagrama que constitui o único objeto de devoção(*) (amanhã e noite), os Capítulos Hoben (Meios) e o Juryo** (a Revelação da Vida Eterna de Buda) do Sutra de Lótus são lidos foneticamente em japonês (Nitiren Daishonin) – o que possibilita que em qq parte do mundo, em qq Kaikan, todos os membros pronunciem/leiam as palavras do Sutra da mesma forma, independente de sua língua materna.

    O “U Mandara Ke” (16º capítulo do Sutra de Lótus) em uma cena que é mostrada no vídeo é uma das m/ favoritas (**): “flores celestiais caem como chuva” e significa: “sendo coberto por bençãos”.
    ________

    (*) Contudo: “Nunca procure o Gohonzon em outros lugares. Ele somente pode habitar no coração das pessoas comuns como nós que abraçam o Sutra de Lótus e recitam o Nam-myoho-rengue-kyo”. (END, vol.I, pág. 325). Essa compreensão é o que o budismo chama de iluminação.

    (**) Porém, é o capítulo Juryo que revela a “eternidade da vida”. e esclarece que a extensão da vida do Buda é imensurável.

    Sakyamuni explica a eternidade da vida em termos de sua própria existência, ou seja, como um relato de experiência.

    A síntese dessa experiência é a seguinte: “Muitos pensam que eu (Sakyamuni) renunciei ao mundo secular quando jovem e, praticando as austeridades budistas, atingi o estado de Buda sob a árvore bodhi, no passado inconcebivelmente remoto de gohyaku-jintengo (infinito passado). Desde então, vim doutrinando inúmeras pessoas neste mundo saha e em inumeráveis outras terras. A extensão de minha vida é portanto insondável, eterna e imperecível.”

    Neste momento, alguns podem estar se questionando: “Fala-se que a vida de Sakyamuni é eterna, mas, na realidade ele morreu. Isto não significa que a extensão da vida do Buda é finita?”

    A resposta a esta questão encontra no próprio capítulo Juryo. Este capítulo explica que Sakyamuni, que atingiu a iluminação pela primeira vez na Índia e entrou no Nirvana, é um buda provisório ou “expediente”, ao passo que Sakyamuni que atingiu a iluminação no remoto passado, e cuja vida é eterna e imperecível, é um “buda verdadeiro”.

    Para revelar a eternidade da vida que percebeu por si mesmo, Sakyamuni manifestou sua identidade de Buda em outras existências passadas e continuará conduzindo as pessoas por toda eternidade.

    E termina assim: (…)
    Zui-o-sho-ka-do — e, em resposta às suas necessidades de salvação

    I-se-shu-ju-ho — ensino-lhes várias doutrinas.
    Mai-ji sa-ze-nen — Medito constantemente:

    I-ga-ryo-shu-jo — Como posso conduzir as pessoas
    Toku-nyu-mu-jo-do — ao caminho supremo
    Soku-jo-ju-bu-shin — e fazer com que adquiram rapidamente o corpo de um buda?”

    (***) conheço pessoa tatuada com os kanjis de ‘U Mandara Ke’ ;)

    (****) Cenário: O Sutra de Lótus começa com o Buda Sakyamuni expondo seus ensinos no Pico da Águia. Mais tarde, invocando seus poderes sobrenaturais, ele eleva toda a assembléia que o escuta ao ar (terceiro video da série) e continua a sua prelação. Finalmente, ele retorna ao Pico da Águia, onde o sutra é concluído. Estes vários lugares e ocasiões em que Sakyamuni expõe seus ensinos, são referidos no sutra como os “dois lugares e três assembléias” e, também, como “três assembléias em dois lugares.

    _/\_ Gasshô e Boa Sorte,
    Norma

  • Senhores, Bom dia …

    Tive meu primeiro contato com a Filosofia Budista através da leitura de alguns livros do OSHO. Depois cheguei a frequentar um templo budista da HBS(Homon Butsuryu Shu) em Mogi das Cruzes, mas tive que interromper por causa de horários .
    Recentemente um acontecimento me deixou muito intrigado e procuro respostas …
    Estava assistindo uma palestra num Centro Espirita(OBREIROS DO AMOR) no Embu. E em certo momento senti uma presença , que seria do BUDHA ou de um Monge ali proximo de mim, e para minha surpresa quando olhei ao redor , fiquei perplexo ao ver um monge budista . Não tinha visto ele antes . Primeiro senti a presença .. Ainda estou muito intrigado e procuro respostas p/ este acontecimento…

    Um abraço e parabens pelo trabalho de voces …

  • * – A tradução traria melhor entendimento p/ as pessoas;
    QUANDO É CHEGADA A HORA A LUZ DO CONHECIMENTO TOCA AS PESSOAS; * – CASO CONTRÁRIO, É QUE SE ESPERE C/ PASCIÊNCIA.
    * – BUSCAR SEMPRE, TAL É A LEI; POIS CADA UM TEM O SEU CAMPO VIBRATÓRIO ABERTO Á FREQUÊNCIA ADEQUADA A CADA UM; POR ISSO; É QUE TODOS OS CAMINHOS LEVAM AO PAI ! * – NAMASTE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *