Revendo uma antiga entrevista de Carl Sagan com Dalai Lama sobre ciência e “religião” [VíDEO]

carl-sagan-dalai-lama-E o que acontece se a doutrina de uma religião, vamos dizer o Budismo, for contrariada por algum achado, alguma descoberta da Ciência? A pergunta é clássica, e um tanto velha, e foi feita pelo astrônomo Carl Sagan (1934-1996) ao XIV Dalai Lama, Tenzin Gyatso, num dos seus encontros em 1991, dos poucos gravados em vídeo e disponibilizados na Internet, e que segue abaixo legendado em português (a imagem não tem qualidade suficiente, mas o áudio funciona). Quase 25 anos depois, o Budismo já é mais claramente compreendido como uma “ciência da mente“, como o próprio Dalai Lama cita nessa entrevista, do que uma religião no sentido que a cultura ocidental geralmente classifica. “O melhor no início é permanecer cético, e depois realizar experimentos, por meios externos e internos“, responde o líder do Budismo tibetano.

O diálogo é uma conversa de cavalheiros, e era ainda o início de uma aproximação que hoje continua, com a criação de eventos e organizações, como a Mind & Life Institute, cujo objetivo é unir os métodos de observação objetiva externa da ciência clássica com as técnicas contemplativas e introspectivas da ciência oriental.  Nenhum dos dois entra em pormenores nem exemplos práticos na entrevista, é uma conversa simples onde Sagan ocupa o papel do representante da ciência ocidental, e o Dalai Lama, que aqui aparece como um líder religioso, é o questionado, e o é sobre a validade da sua doutrina perante esse processo de investigação da ciência ocidental.

Obs.: Um trecho que não aparece no vídeo, mas que fez parte do início dessa entrevista, falava curiosamente da união entre cientistas e religiões para a preservação do planeta, um tema que se tornou cada mais urgente com o passar dos anos, e com desastres alarmantes como o recente em Mariana, em Minas Gerais. Ao ser indagado por Sagan sobre a união de cientistas e líderes religiosos para trabalharem juntos pelo meio ambiente, Dalai Lama diz o seguinte: “basicamente nós, seres humanos, somos como crianças nesse planeta. Por isso não importa que habilidades temos — tecnologia e essas coisas — no fim temos que nos sintonizar com as leis naturais. Esse planeta pequeno, até onde sabemos, é o único lugar em que podemos viver com felicidade. Assim, essa é nossa única casa. Por isso, naturalmente, cuidar desse planeta é cuidar de nossa própria casa”.

Segue o trecho de 6min da entrevista, legendado em português:

https://youtu.be/8GCLmKqLBa8

//////////

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *