“Dessa forma eu digo, não deixe de fazer algo que gosta devido a falta de tempo”: Quintana de Natal

Republicando este poema “O Tempo” de Mario Quintana (1906-1994) aqui, mas desta vez em dezembro, numa sexta, às 6 da tarde.

Como dizia nosso querido John Lennon, “a vida é o que acontece a você enquanto você está ocupado fazendo outros planos” (Beautiful Boy, Darling Boy, 1980).

E quando se vê:

“A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é Natal…
Quando se vê, já terminou o ano…

 

… Quando se vê não sabemos mais por onde andam nossos amigos…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…

 

Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casaca dourada e inútil das horas…
Eu seguraria todos os meus amigos, que já não sei como e onde eles estão e diria: vocês são extremamente importantes para mim.

 

Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
Dessa forma eu digo, não deixe de fazer algo que gosta devido a falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.”

 

~ Mário Quintana, “O Tempo”

//////////

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

1 Comentário

  • O melhor tempo é aquele que vivemos em harmonia,
    exalando alegria de viver, fato que reconhecemos com o tempo a existencia de apenas uma realidade ao qual depende de cada um superar-se ! O sofrimento e o desperdício desta vida pode ser a inconsciente ou não escolha de cada um…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *