Osho contra os tabus: “Minha palavra para oração é amor. Esqueça a palavra oração, substitua por amor.”

Não sei se essa cruzada contra as religiões ainda é tão válida, embora muitas delas ainda estejam aí com seus métodos e tabus, mas certamente a cruzada contra o irreal, contra os desvios da natureza e do que é negado é válida e necessária. Quando se inventa algo no céu vazio e uma entidade isolada com ouvido seletivo, é possível realmente que se deixe de ouvir a vida no chão e os nossos conterrâneos. Então que ouçamos a vida no chão e nossos conterrâneos. E que amemos, mais do que peçamos.

O texto abaixo é um trecho do místico indiano Bhagwan Shree Rajneesh, o Osho (1931-1990), de palestras dadas entre outubro e novembro de 1984 em Rajneeshpuram, Oregon (EUA), e transcritas no livro “From Unconsciousness to Consciousness: Answers to Seekers on the Path”  (previamente intitulado “The Rajneesh Bible, Vol. 1”).

“Não vou dizer “reze” porque não há um Deus para quem se rezar. 

 

Não posso dizer, como todas as religiões, que a oração vai lhe tornar religioso; ela vai lhe dar uma falsa religiosidade. Então na minha religião a palavra oração tem que ser completamente abandonada. Deus não está lá, então falar com um céu vazio é essencialmente uma tolice. O perigo é que você pode começar a ouvir vozes do céu, então você começar a ir além do limite da normalidade. Então você se torna anormal. E então você não é mais capaz de fazer algo, você precisa de tratamento psiquiátrico. Por isso, antes que aconteça, antes que Deus lhe responda, por favor não peça. Deus não pode lhe forçar a rezar e a pedir. Se você rezar e pedir e insistir, ele pode responder — esse é o perigo. E uma vez que você ouça a resposta, então você não vai mais ouvir ninguém. Então você terá que ser forçado a ir a tratamento psiquiátrico, ou então você enlouquece.

 

Minha palavra para oração é amor. Esqueça a palavra oração, substitua por amor.

 

O Amor não é por um Deus invisível. Amor é para o visível: seres humanos, animais, árvores, oceanos, montanhas. Abra suas asas do amor tão longe e largas quanto você puder.

 

E lembre-se, o amor não precisa de sistema de crença. Até mesmo o ateísta ama. O comunista ama. O materialista ama. Então o amor é algo intrínseco a você, não é imposto do exterior, algo que só um cristão pode amor, ou um hindu pode amar, é seu potencial humano. E eu gostaria que você se baseasse no seu potencial humano ao invés dos seus condicionamentos falsos de cristão, judeu, hindu… você não os traz consigo mesmos, mas você traz o amor com você, é parte do seu ser. O amor sem sua inibição, sem qualquer tabu.”

 

~ Bhagwan Shree Rajneesh, o Osho, em “From Unconsciousness to Consciousness”, capítulo 28.

//////////

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

5 Comentários

  • Sim, o amor está em cada um, todos somos capazes de amar, mas, às vezes, precisamos acordá-lo, o exemplo e ensinamentos de Jesus Cristo foram belos e dignos de serem seguidos.

  • Como mesmo Osho diz, tudo é relativo.

    “Aquilo que sabemos e tudo que ainda pudermos vir a saber está fadado a ser relativo.

    Osho, em “Osho de A a Z – Um dicionário espiritual do aqui e agora”

    Tornei-me sannyasin do Osho em 24.12.89, e fui dedicando-me a fazer as meditações.Em 98/99 por seis meses, morei em Pune e todos dias ia ao Ashran de Osho, para fazer as meditações, e fiz 21 dias de dinâmica e todos dias participava da meditação do Robe Branco. Fiz vários workshops. E em maio de 99 voltei ao Brasil e fui para o fundo do poço. Quis me suicidar e planejei o suicídio. Por seis meses fiz terapia, ms não consegui sair do estado de depressão que entrei… perdi interesse por tudo. Em setembro de 1990, conheci Sri Prem Baba, um paulista, nascido na Aclimação, que pertence a linhagem Sachcha Mission de Rishikesh, foi so daí que melhorei. Senti que ele era meu mestre ral. E o ensino dele são de orações e mantras. Confesso que o amor dele é tão grande, que pela primeira vez soube na minha vida, o que é o amor desinteressado. http://www.prembaba.org.br

  • A palavra amor vem sendo extremamente banalizada, de tal forma que já não se refere a um sentimento de fácil compreensão. Como diz Osho, precisamos amar sem distinção , todos os seres.Entretanto essa capacidadade não me parece tão natural no adulto de hoje , vez que, todos somos meio que anestesiados por condicionamentos.Vivemos presos num universo conceitual,fato que torna quase impossivel apreender a realidadade, tal como é; fator imprescindível para amar e interagir de verdade.A necessidade do amor entre os homens já foi anunciada há mais de 2 mil anos.Essa mensagem de Jesus reverbera entre nós até hoje, sem que, contudo, tenha se transformado numa prática muito usual. Logo, amar não é assim tão fácil como Osho sugere. Se o amor fosse tão natural não precisaria ter se transformado numa LEI primeira.Precisamos aprender a conhecer a nós mesmos para sermos capazes de conhecer o outro.Acredito que só podemos amar aquilo que conhecemos.
    Muita paz e luz!

  • Acredito em Um Deus em cada um de Nós e Acredita inevitavelmente que existe um CRIADOR ONIPRESENTE que Originou isso Tudo, È MUITA LOUCURA E DE QUEBRAR A CABEÇA Achar que Viemos do Nada e temos um deus Dentro de Nós.
    ´´´´´´´´´´´´´´´´´´´´
    Esse Osho era um Lunatico sem proposito e Infeliz, E quem se apega as loucuras propagadas por ele vai ao mesmo caminho “as ideias de Osho deixa vc ignorante sem nexo”.
    ………………..
    Acredito em Um Deus Que criou raças inteligentes em todas as Galaxias e que apenas observa a evolução de cada especie, Mundo estes que um Dia mereceremos estar por serem mais elvoluidos, Se Soubermos evoluir.
    ………………………
    Osho é um Locuo Deus Existe , O Deus em cada um Existe …basta Meditar neste fundamentoe Verias.

    Namastê

  • Fomos criados para amar e sermos amados. Entretanto, não é algo tão inerente a nós mesmos. Somos por natureza rebeldes e egoístas o suficientes para causar problemas a outros e anós mesmos. Supervalorizamos nosso ego… é tão verdade, que precismos de ser iluminados, despertados para o amor. Tanto é que quando nascemos somos ensinados a amar. Mas esse amor natural não é suficiente para transpor barreiras, para sustentar relacionamentos, para aceitar a nós mesmos e o outro com todas vulnerabilidades e defeitos… Precisamos do amor “SOBRENATURAL”, dom Divino, que está a nossa disposição… é só nos apropriarmos através do conhecimento (de Deus) entrega e a gratidão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *