“Vermelho não é mal, branco não é divino”: a ausência de qualidade maligna ou negativa nas situações, por Chögyam Trungpa

A MENTE E SUAS PROJEÇÕES SÃO INOCENTES

 

“O tipo de interação que acontece entre a mente e a percepção é tomada como sagrada e natural. É sagrada porque é natural, quase mecânica. O fogo queima, a água cria umidade, o vento sopra, o espaço acomoda. As situações que ocorrem naturalmente não são tomadas como ameaças. Fundamentalmente, elas não possuem nenhuma qualidade maligna, negativa ou samsárica que nos atraia para um mundo confuso.

 

A mente e suas projeções são inocentes. São muito ordinárias, muito comuns e muito simples. O vermelho não é mal, o branco não é divino; o azul não é mau e o verde não é divino. O céu é o céu, a pedra é a pedra, a terra é a terra, as montanhas são as montanhas. Eu sou o que eu sou e você é o que você é. Portanto, não há obstáculos específicos para experimentar o mundo apropriadamente, e nada é tomado como problemático”.

 

~ Chögyam Trungpa Rinpoche, em “The Tantric Path of Indestructible Wakefulness”

//////////

Foto de Squirmelia (licença de uso BY-NC-SA Creative Commons)

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

3 Comentários

  • Em outras palavras, oque o Mestre Rinpoché mostra, é:

    ”Deus dorme na pedra, sonha na planta, se agita no animal e desperta no ser humano.”
    -Sufi Ibn Arabi

    Quanta luz lança Ibn Arabi sobre a sentença de Pitágoras:
    ”A pedra é música cristalizada”.

    Novalis: “A pedra é espírito dormido”.

    Aristóteles: “A pedra é, a planta sente, o animal vive e o homem compreende”.

    Gérard de Nerval:
    VERSOS ÁUREOS
    “…No ser obscuro às vezes mora um Deus oculto,
    E, como olho a nascer por pálpebras coberto,
    Nas pedras cresce um puro espírito disperso!”
    – – – – – – – – – –

    Em outras palavras, ver com simplicidade todas as coisas para acalmar a mente(conforto, ansiedade&estresse) e erradicar seus males pessoais fazendo uma reiteração com a natureza. Que no meu ponto de vista, se complica com a Ciência, pelo fato da ciência e psicologia já provarem atualmente que o observador sujeito/paciente é influenciado pelo ambiente social, pelas cores(que causam alterações psicológicas), pelos sons&frequências(binaurais, isocrônicos que propagam alterações neurológicas), e assim por diante, como também é possível modificar a molécula da água com um mero pensamento, fisicamente comprovado. “Tudo é energia” frase de Einstein.

    Resumindo, aplicar a simplicidade na nossa vida cotidiana cheia de problemas, tumultos, trânsito dentre outros. É extremamente difícil ver desse ponto, sendo que esse modo de pensar para nós que vivemos em cidades, somos capitalistas, temos computadores e não moramos em templos, não há como alcançar esse ritmo simples. Pois pode causar uma certa hipnose aguda por contraverter a nossa própria essência, a “origem da sociedade complicada”. Seria como auto-criar um casulo mental para fugir dos problemas, ou psicologicamente falando: “fugir da realidade”, acarretando diversos problemas da psique humana, como: comportamento antissocial, depressão, repressão, timidez, desordem de personalidade, dentre outros.

    Em fim, na minha opinião, nós sendo seres pensantes providos de inteligência e da capacidade cognitiva de aprender com as nossas experiências, devemos extrair da realidade em experiências e debates saudáveis em nosso NOUS DEAUSMIHI FORTIS. A Coisa tem que ser frenética mesmo. E com o conhecimento adquirido = “…nada é tomado como problemático”by:Rinpoché.

    • O ritmo nos templos não é tão simples e perfeito assim. Eu não conheço, mas quem conhece sabe. Monges tem defeitos e apreciam a tecnologia tanto quanto nós, da vida urbana, apreciamos. Resumindo, as dificuldades são as mesmas.

  • Isso parece razoável, olhar com os olhos das crianças. “A mente e suas projeções são inocentes”: não pude deixar de fazer essa associação. É por isso que acredito que é de suma importância contribuir para que elas (as crianças) tenham uma infância saudável e feliz, nutrida de afeto e simplicidade. Dessa maneira, ao crescer poderão manter esse olhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *