A descrição de Thich Nhat Hanh para a iluminação do Buda: como se uma prisão de milhares de anos fosse aberta

Buddha_EnlightenmentPara Gautama (o Buda), a iluminação apareceu como se uma prisão em que ele estava preso por milhares de vidas tivesse sido quebrada e aberta. A ignorância era a carcereira. Por causa da ignorância, a mente dele tinha estado obscurecida, assim como a lua e as estrelas escondidas por trás das nuvens da tempestade. Nublada pelas ondas intermináveis dos pensamentos iludidos, a mente falsamente ficou dividindo a realidade entre sujeito e objeto, eu e os outros, existência e não-existência, nascimento e morte, e dessas discriminações apareceram as visões erradas — as prisões das emoções, dos desejos, do apego e do se tornar. O sofrimento do nascimento, velhice, doença e morte só faziam os muros da prisão mais grossos. A única coisa a fazer era capturar o carcereiro e ver sua verdadeira cara. O carcereiro era a ignorância… Assim que o carcereiro se foi, a prisão desapareceu e para nunca mais ser reconstruída”.
~ Thich Nhat Hanh, “The Buddha’s Enlightenment”, via Glimpse of the Day @ Rigpa
[do livro “Glimpse After Glimpse “, de Sogyal Rinpoche]

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo capital.

20 Comentários

  • gostaria muito de saber afinal de contas, o que é essa iluminação, entendo que não é mero conhecimento da verdade, pois muitos não iluminados a conhecem, também não seria a prática desses conhecimentos pois, muitos os praticam. afinal, o que seria a iluminação?.

    • Bela pergunta. Alguém sabe responder?

      “Mero conhecimento da Verdade”, como conhecimento intelectual, realmente não é. Mas quando você diz “prática desses conhecimentos”, aí tenho dúvida, porque isso dá lugar a interpretações. Praticar os conhecimentos seria viver apenas de acordo com/com a percepção da Verdade/Realidade? Então pode ser. Mas se for a prática de conhecimentos no sentido de austeridades etc, por exemplo, é mais um preparo/prática para a iluminação do que a iluminação em si.

      Vamos ter que invocar os mestres para responder apropriadamente.

      Saudações,
      Nando

    • Iluminar-se é você dissolver ou dissipar todos os véus ou obscurecimentos que impedem você de ver a verdade de todo o sofrimento(da raiz e das causas do sofrimento)de tudo que aprisiona você aos habituais condicionamentos.
      A noção de um eu é percebida e por fim dissipada e você se torna um ser em perfeita plenitude e expansão. Espero ter ajudado! Abços

    • Curti a pergunta! E pensar sobre ela.

      Acho que é difícil nos imaginarmos num estado de iluminação total, mas é fácil de imaginar que podemos ter uma vida com mais luz. Que busquemos nos libertar da influência das nossas sombras de crenças e comportamentos. A metáfora de “sair das trevas para a luz” é uma boa aproximação, é a mais óbvia. As trevas são a ignorância e a luz, a verdade. A luz total seria consciência plena da realidade.

      Acho que a iluminação é sim esse conhecimento da realidade e da verdade, mas é um saber tão transparente que o sujeito deixa de ver os limites que o separam do exterior. E para o iluminado, esses limites realmente deixam de existir. E então se podem mover montanhas.

      Iluminação é fundir-se com a verdade. Por isso os iluminados têm histórias de vida coerentes com seus ideais.

      Já a verdade, ninguém pode descrevê-la com perfeição. É uma compreensão que só se pode buscar com a escuta interior. O caminho para a iluminação.

  • Ola, li sobre o texto acima e sou praticante do Budismos de Nitirem Daishonim, em nossos estudos orientados o Estado de iluminação , é o mesmo que estar em harmonia interior em equilíbrio, com a consciência de suas condições humanas diante dos fatos da vida e viver sem o sofrimento , na felicidade absoluta.
    Um mantra poderoso pra recitar e proporcionar instantaneamente o estado de iluminação e a abertura dos olhos(enxergar a sua verdade absoluta);

    NAM MYOHO RENGUE KYO
    PRONUNCIA=( NAM MIORRO RENGUE QUIO)

    Maiores informações podem procrurar no site da SGI OU BSGI , ONG a qual somos membros.

    Nossas reuiniões de estudo sobre a pratica do budismo na vida diaria , são realizadas nas casas dos membros ou nas sedes, qualquer pessoa pode participar.

    NAM MYOHO RENGUE KYO NAM MYOHO RENGUE KYO NAM MYOHO RENGUE KYO NAM MYOHO RENGUE KYO NAM MYOHO RENGUE KYO NAM MYOHO RENGUE KYO

  • A iluminação não é mais que o relembrar da nossa essência, ela é perfeita, é plena e esta condição humana é apenas uma ideia limitada daquilo que somos de verdade, do nosso Ser.Nada do que aconteça na nossa experiência humana pode condicionar a perfeição do nosso Ser.

  • Gostei das postagens da Paula e do Biza; vão ao encontro do que eu imagino ser a Iluminação. E algo que sempre imagino é: como seria a vida de uma pessoa tida como “comum” após a Iluminação? Como seria pegar trânsito, trabalhar, ir ao cinema, tomar chopp num bar, paquerar… tudo isso deixaria de ter importância, e uma vida um tanto quanto monástica se iniciaria? Ou tudo isso continuaria a existir, mas sob uma outra perspectiva? Dúvidas de alguém que não atingiu tal estado, mas que batalha pra lá chegar…

    • Para mim o iluminado pode utilizar de ter ou nao algo conforme for apropriado a sua obra, e diminuindo o ritmo e expectativa das coisas cotidianas, e possivel estar no meio da bagunca sem por ela ser influenciado, afinal o Ser vem antes de qualquer atividade exterior. Iluminando-me vou……..

  • Se é difícil definir (muita pretensão) o que é iluminação, imagine como é difícil atingir o estado búdico.
    Desapego ao eu, realizar a ausência do eu, realizar a vacuidade, a ausência de existência inerente/autônoma/auto-instituida/…dos fenômenos, ou seja,libertar-se da ignorância fundamental, abster-se da prática das dez ações negativas, dedicar-se à prática das dez ações positivas (os antídotos), libertar-se das kleshas, i.é, das emoções negativas/destrutivas/aflitivas/perturbadoras,………, imagino que estaremos próximos do estado búdico. Só isso, simples assim, mais ou menos assim, intelectualmente ainda é tão dificil,…….
    Penso que ninguém se iluminou ao saber o que é a iluminação, parece-me que nem o Buda Shakiamuny deu-se conta disso, mesmo em seu “encontro” com Mara,…….

    • Se falar mais estraga, Paulo. O objetivo nem pode ser a iluminação. Dizem que quando o Buda se sentou embaixo da árvore disse para si mesmo, “Que minha pele e meus ossos sequem, mas não vou me mover daqui até que eu alcance a sabedoria final suprema”. O que ele queria era perceber, entender.

      Saudações,
      Nando

  • Acredito que a iluminação é você se libertar da mente, do ego e viver a consciência pura, ser um com o Todo, que já existe dentro de cada um de nós. Viver atrás da mente, no silêncio puro do Universo, com tudo que isso pode nos proporcionar. Que maravilha que deve ser!

  • Creio que Iluminação é o que o próprio nome diz; algo que clareia e pode ser melhor observado. Não creio que possa ser totalmente observado, por que não se pode iluminar completamente, sem que os outros também o sejam, diz o bodhisattva.
    Ao clarear a mente, estando na vácuo e no silêncio, ou seja no olho do furacão, pode-se ver o movimento das coisas transitórias. É libertar-se de toda a limitação da percepção humana. Libertar-se no sentido de que as percepções de fora, não mais inteferem na organização de dentro, organização essa que vai do dentro para fora, da quietude interior, do espírito, para a alma e por fim configurando o corpo.
    É possível estar no meio da bagunça sem se misturar, mas deve condoer o coração do sábio por ver a si mesmo ainda preso no cárcere da emoção. A torrente de amor, compaixão e bondade que emanam dele não podem deixa-lo indiferente à cena. “Pois afinal, a consciência imanifesta e sem forma está manifesta em forma humana, e possui coração, intestinos, rins, órgãos sexuais e ele percebe, sente, também, com as lentes dos mortais, embora todas as suas funções tenham sido aperfeiçoadas pelo conhecimento da Verdade – a lente sem forma, infinita.
    Não creio que seja somente consciência pura, pois as formas a priori de tempo, espaço, causalidade e outras, as limitações e diversidades, enfim fazem parte do Universo..

  • A ILUMINAÇÃO NÃO PODE SER DESCRITO EM PALAVRAS POIS TRANSCEDE AOS PENSAMENTOS ÉA TOTAL LIBERTAÇÃO DO EGO POIS ESTE ESTÁ LIGADO AOS PENSAMENTOS. É NESTE ESTADO QUE VEM A REVELAÇÃO DA VERDADE.

  • Não consigo ver a iluminação como a identificação de uma verdade, a impermanência dissolve qualquer concepção de uma;
    percepção do EU penso ser um passo, pois quando tentamos entender o vazio surge o não-EU e aí sim parece existir uma zona de conforto;
    “Vir a nascer é sofrimento”, portanto, para uma liberação plena, deve-se partir e deixar tudo; Buda fala dos diversos caminhos para minorar o sofrimento do sansara (a vida como é), mas o sofrimento não tem fim, é quando surge um dos grandes questionamentos budistas: sem o sansara não há a liberação, porque se desfaz a visão dual necessária ao entendimento da existência. Penso que o difícil entendimento da impermanência e da interdependência de tudo pode nos levar à concepção da iluminação, seremos, então, o vazio. Até lá para todos nós!!!

  • eis a verdade
    iluminada nao é só a pessoa que tem luz dentro de si,

    o que é uma luz que não clareia nada nem ninguem ?

    as palavras são simples mas objetivas.
    iluminação é quando alguem consegue iluminar

    quando alguem aprende a emitir sua luz, ai esta a Iluminação, quando a pessoa consegue iluminar outras, iluminar é dar luz, leveza, amor. se manter e manter a outros no amor, sem cair , pois uma lampada que acende mas apaga é uma lampada com defeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *