Vaclav Havel: a tragédia do homem moderno é que ele se preocupa cada vez menos com o significado da sua vida

O poeta, ensaísta e político tcheco Václav Havel (1936-2011), o último presidente da Tchecoslováquia e o primeiro presidente da República Tcheca, foi um dissidente do movimento comunista e um autor de peso contra o totalitarismo, mas foi acima de tudo um pensador e visionário  que estava interessado no amplo significado da vida humana. Como disse o jornalista Erich Follat, da revista Spiegel, “um homem que discute Deus e o mundo com o dramaturgo Tom Stoppard e o Dalai Lama e pode conversar com Frank Zappa e Mick Jagger é tudo menos um político de carreira convencional”. Nas frases selecionadas abaixo, Václav Havel mostra sua preocupação, visão e ativismo humanista e político sobre o homem e sua vida, principalmente sobre os aspectos contemporâneos de existência em sociedade, e inspira sucessores e a geração atual com sentimentos magnânimos, a inquietação reformista e a missão de elevar o destino do ser humano.

– “A tragédia do homem moderno não é que ele sabe cada vez menos sobre o significado da sua própria vida, mas que ele se preocupa cada vez menos.” (Cartas a Olga, 1988)

– “Quanto mais profunda é a experiência de ausência de significado – em outras palavras, de absurdo – mais energicamente o significado será buscado”. (“Disturbing the Peace”, 1986)

– “Continuamos sob o domínio da crença fútil e destrutiva de que o homem é o ápice da criação, e não apenas uma parte dela, e que, assim sendo, tudo lhe é permitido… Somos incapazes de compreender que o único sustentáculo genuíno de nossas ações – se elas forem morais – é a responsabilidade. A responsabilidade para com algo maior que a família, o país, a empresa ou o sucesso. A responsabilidade para com a própria essência do Ser, onde todas nossas ações estão indelevelmente gravadas e serão, apenas ali, corretamente julgadas.” (Discurso no Congresso dos Estados Unidos, em “Vampiro: A máscara”.

– “Não há diretrizes. Provavelmente não há nenhuma diretriz. A única coisa que recomendo nessa fase é senso de humor, uma habilidade para ver as coisas em suas dimensões ridículas e absurdas, a rir dos outros e de nós mesmos, um senso de ironia a respeito de tudo que pede paróida neste mundo. Em outras palavras, só posso recomendar perspectiva  e distanciamento. Atenção aos perigos maiores da vaidade e presunção, nos outros e em nós mesmos. Uma boa mente. Uma certeza modesta sobre o significado das coisas. Gratidão pela dádiva da vida e a coragem de assumir a responsabilidade por ela. Vigilância de espírito.” (discurso na Central European University, 1999)

– “Aqueles que dizem que indivíduos não são capazes de mudar nada estão apenas buscando desculpas”. (Anistia Internacional, 2011)

//////////

 

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

8 Comentários

  • É de grande importância termos em nossa humanidade homens que pensam, refletem e se comprometem assim.Somos os autores e co-autores do mundo que temos, da vida que vivemos.Muito bom pensamento e reflexão!

  • Não conhecia o seu pensamento. Gostei bastante. Talvez venha daí uma solução: Poetas com visão holística do ser exercendo cargos políticos. Capacidade de ver além da pura legalidade da função. A lamentar que já tenha partido. A República Tcheca perdeu e desconfio que Mundo também.
    Grata. Boa Sorte.

  • Não conhecia e gostei bastante do seu pensamento. Poetas, com visão holistica do Ser, exercendo cargos políticos seria a solução para uma Sociedade mais harmoniosa e justa? Além do exercício da Legalidade?
    Já partiu.Perda para Rep.Tcheca e desconfio, para o Mundo.
    Grata e Boa Sorte.

  • Que feliz descoberta! Para mim, pelo menos. Espírito inovador, pensamento universalista poucos pares terá na política. Certamente que o Mundo sofreu uma perda, mas deverá ter deixado farto material para ser bem explorado se as editoras tiverem boa vontade…

    Servisse de exemplo ao Brasil de hoje, seria motivo para o povo sair às ruas a festejar.
    Infelizmente terá de sair para derrubar o crime organizado que se instalou em Brasilia há 10 anos atrás.

  • Nando,

    Nem perfeito, nem unanimidade – como fizeram ‘questão’ de me colocar a par – Humpf!
    (Eespero que não proceda. De qq forma, seu texto continua fazendo sentido p/mim)

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/desinformacao/12680-uma-outra-visao-sobre-vaclav-havel.html

    Transcrevo abaixo, Walter Williams (economista, negro, de origem pobre e autor de 7 livros) p/clarear o “além da legalidade” – do meu coment.:

    A ‘legalidade’ estabelece ‘moralidade’?
    A escravidão foi legal, o apartheid foi legal, os expurgos
    de Stalin, Hitler e Mao também foram.
    Claramente, o fato da ‘legalidade” não justifica nenhum desses crimes
    A’legalidade’ por si só não pode ser o talismã moral das pessoas
    (O Universo, a Vida e tudo mais)
    Boa Sorte.
    Bjo Norma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *