“Apesar da falsidade, dos desencantos e agruras, o mundo ainda é bonito, seja prudente”: Desiderata, por Max Ehrmann

Trazemos tantos discursos, trechos de obras e ensinamentos de grandes mestres, filósofos, psicólogos e outras pessoas de renome que às vezes faz bem trazer alguém menos conhecido, com seu próprio brilho e riqueza. Nascido na cidade de Terre Haute, no Estado de Indiana (EUA), Max Ehrmann (1872-1945) foi poeta e advogado, estudou Filosofia e Direito em Harvard e escreveu seu mais famoso poema, “Desiderata” (“coisas desejadas”, do latin), em 1927. Imagine um advogado americano, do interior dos Estados Unidos, desistir da advocacia aos 40 anos, nos Anos 10 do século passado, para ser poeta. Esse é Max Ehrmann e, abaixo, está Desiderata, em português.

OBS.: O original em inglês está neste link.

//////////

DESIDERATA
Por Max Ehrmann

“Siga tranqüilamente entre a inquietude e a pressa, lembrando-se que há sempre paz no silêncio. Tanto que possível, sem humilhar-se, viva em harmonia com todos os que o cercam.

Fale a sua verdade mansa e calmamente e ouça a dos outros, mesmo a dos insensatos e ignorantes – eles também tem sua própria história.

Evite as pessoas agressivas e transtornadas, elas afligem nosso espírito. Se você se comparar com os outros você se tornará presunçoso e magoado, pois haverá sempre alguém inferior e alguém superior a você. Viva intensamente o que já pode realizar.

Mantenha-se interessado em seu trabalho, ainda que humilde, ele é o que de real existe ao longo de todo tempo. Seja cauteloso nos negócios, porque o mundo está cheio de astúcia, mas não caia na descrença, a virtude existirá sempre.

Você é filho do Universo, irmão das estrelas e árvores. Você merece estar aqui e mesmo que você não possa perceber a terra e o universo vão cumprindo o seu destino.

Muita gente luta por altos ideais e em toda parte a vida está cheia de heroísmos.

Seja você mesmo, principalmente, não simule afeição nem seja descrente do amor; porque mesmo diante de tanta aridez e desencanto ele é tão perene quanto a relva.

Aceite com carinho o conselho dos mais velhos, mas seja compreensível aos impulsos inovadores da juventude.

Alimente a força do Espírito que o protegerá no infortúnio inesperado, mas não se desespere com perigos imaginários, muitos temores nascem do cansaço e da solidão.

E a despeito de uma disciplina rigorosa, seja gentil para consigo mesmo. Portanto esteja em paz com Deus, como quer que você O conceba, e quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações, na fatigante jornada da vida, mantenha-se em paz com sua própria alma.

Apesar da falsidade, dos desencantos e agruras, o mundo ainda é bonito, seja prudente.

Faça tudo pra ser feliz.”

//////////

Foto de Artisan Shooting (licença de uso BY-NC-ND, por Creative Commons)

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

11 Comentários

  • É incrível como seus pensamentos surgem em comunidades do “Face”, sem os devidos créditos ao autor.
    Ele viveu segundo suas crenças e suas crenças eram e são maravilhosas.
    Hoje, mais do que nos séculos XIX/XX é preciso acordar do sono e fazer dos sonhos realidade. O que importa é ser feliz, desde que não a custa de outrem.

    • Oi Dagmar, a gratidão é mútua. Não há nenhum ensinamento do Dharmalog, são todos desses grandes seres que buscamos e ganhamos e recebemos aqui e ali, de gente agradecida por tê-los encontrado, e os repassa pra nós, e assim por diante. Nem dá pra saber quantos e em quantas oportunidades. Quem sabe um dia.

      Seja bem-vinda e agradeço muito esse depoimento, um sorriso amigo para seguirmos blogando.

      Namastê.

    • a titulo de colaboracao, respondo a sua duvida. encontrei tanto a sua duvida quando a resposta a ela ao procurar pelo poema em questao. espero ter ajudado. sds. “* Max Ehrmann, poeta e advogado escreveu este texto em 1927. A força e beleza do texto associadas com a divulgação feita por um padre, gerou a falsa idéia que esta poesia havia sido encontrada “na velha Igreja de São Paulo,em Baltimore, no ano de 1692″. Eu mesmo divulguei esta informação errada por algum tempo e agora faço a correção.” link da informação: http://www.ricardomattos.com/desiderata.htm

  • A tradução está errada!!
    Segundo a versão original em inglês, a tradução correta seria “ Aceite com benevolência o conselho dos anos e saiba renunciar às coisas da juventude” e não “ Aceite com carinho o conselho dos mais velhos mas esteja aberto aos impulsos inovadores da juventude” … o sentido inclusive é bem diferente! Uma tradução errada muda o sentido de um texto lindo no original.

    • Oi Juliana,

      Obrigado pela mensagem. Realmente a tradução tem algumas escolhas infelizes, e agora relendo com mais rigor cada sentença percebo que esse e dois outros trechos também poderiam estar melhores. Te agradeço por ter escrito avisando.

      Sobre sua sugestão especificamente, apenas a segunda parte não entendo que esteja correta. Explico: “gracefully surrendering the things of youth“, no meu entendimento, dentro da frase, seria mais “graciosamente soltando as coisas da juventude”. Ou seja, como se quisesse dizer para receber a sabedoria dos anos enquanto deixa as coisas da juventude (irem) (se fosse “esteja aberto aos impulsos da juventude”, entendo que deveria ter “surrendering TO the things of youth” – no original que consultei também não havia nenhuma palavra se referindo a “inovadores”, que está incluída ali sem propósito, outro engano). Há uma outra tradução que usa “renunciando” para o “surrendering”, que daria esse mesmo sentido.

      Se você conhecer uma tradução em português melhor que a que está aqui, eu gostaria de conhecer, e agradeço. Vou buscar outras e caso não encontre penso em fazer eu mesmo uma versão.

      Obrigado novamente.

      Um abraço,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *