“Para se ser livre do sofrimento é necessário olhá-lo, compreendê-lo, conhecê-lo como realmente é”, Krishnamurti

Abaixo, frases importantes sobre a tarefa de libertação do sofrimento, de autoria do celebrado filósofo indiano Jiddu Krishnamurti (1895-1986), parte da monografia pública intitulada “O Pensamento Metafísico-Iniciátivo de Krishnamurti” (pdf), do Prof. Dr. Rodolfo Domenico Pizzinga, Membro da Ordem Rosacruz AMORC, e que gentilmente disponibiliza em seu site. “Apresento a seguir uma seleção dos principais ensinamentos de Krishnamurti, voltados para a evolução da consciência humana através da liberdade, do pleno exercicio do livre arbítrio e no exercício da razão plena”, diz Prof. Pizzinga.

//////////

Frases de Jiddu Krishnamurti.

» “Compreender o sofrimento é [con]viver com ele, olhá-lo, conhecê-lo como ele realmente é; mas não tendes possibilidade de conhecê-lo quando o olhais com um motivo – que supõe o tempo. A mente superficial, incessantemente ocupada em se melhorar, em se lastimar, em se torturar numa dada relação, desejosa de se libertar do sofrimento sem enfrentar o fato – essa mente prosseguirá sofrendo indefinidamente”.

» ‘Para se ser livre do sofrimento, é necessário compreender, consciente e inconscientemente, todo o seu ‘processo’, e isso só é possível vivendo-se com o fato, olhando-o sem motivo. Deveis perceber as manhas de vossa mente, suas fugas, as coisas aprazíveis a que estais apegado e as coisas desagradáveis de que desejais vos livrar com rapidez. Cumpre observar o vazio, o embotamento e a estupidez da mente que só trata de fugir. E pouca diferença faz, se se foge para Deus, para o sexo ou para a bebida, porquanto todas as fugas são essencialmente a mesma coisa”.

» “Existe uma imensidão que ultrapassa todas as medidas, mas nesse mundo não ingressareis sem a prévia e total extinção do sofrimento”.

» “Não encontraremos saída de nossa confusão, angústia, conflito, pela constante repetição do ‘Gita’, do ‘Upanishads’ e demais livros sagrados; isso poderá levar à hipocrisia, a uma vida de insinceridade, de interminável pregação moral, porém nunca a enfrentar realidades”.

» “Temos de enfrentar-nos assim como somos e não como deveríamos ser, segundo um certo padrão ou ideal. Temos de ver realmente o que somos e, daí, iniciar a transformação radical”.

» “A primeira coisa que nos cumpre fazer é observar com atenção, todas as murmurações, todos os temores, ilusões e desesperos de nosso próprio ser. E vereis então, por vós mesmos – e para isso não se necessita de provas, nem de gurus, nem de livros sagrados – se a Realidade existe. E encontrareis, então, um extraordinário sentimento de libertação do sofrimento. Aí existe a claridade, a beleza e aquela coisa que está faltando hoje à mente humana: o amor, a afeição”.

» “A religião, evidentemente, perdeu o seu significado, pois sempre houve guerras religiosas. Ela não resolve os nossos problemas. As religiões separaram os povos. Poderão ter exercido determinada influência civilizadora, mas não transformaram radicalmente o homem”.

» “Ao desejarmos experiências no terreno religioso, nós as desejamos porque não resolvemos os nossos problemas, nossas ânsias, desesperos, temores e tristezas de cada dia; por essa razão pretendemos algo ‘mais’. Nessa pretensão de ‘mais’ encontra-se a ilusão”.

» “A vida inteira, a partir do momento em que nascemos, é um processo de aprendizado”.

» “Aprender não é mero cultivo da memória ou acumulação deconhecimentos, porém, a capacidade de pensar clara e sãmente,
sem ilusões, partindo de fatos e não de crenças e ideais’.

//////////

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

1 Comentário

  • Oi, obrigada, Nando!
    (“pensar clara e sãmente,
    sem ilusões, partindo de fatos e não de crenças e ideais”)
    1) Tão ‘augusto’ na foto acima (em sua simplicidade), que parece um busto de um César entronizado no Senado Romano.
    2)”Greatness exists in all of us” – Will Smith
    Grandiosidade existe em todos nós

    http://youtu.be/lwMuP1nqavQ

    Tão grandioso e tão próximo de todos em sua humanidade: como foi manifestar em corpo físico, um câncer (mágoa?) em seu pâncreas (quando perdeu a doçura de sua vida? Ele, tão lúcido?)
    É sim, tudo é material para prendizado! Ele vivenciou o processo…
    ++++++++++

    Matizando de cor-de-rosa uns pensamentos cinza-chumbo – rs.rs.rs.:
    72 HORAS NO QUENIA – VÍDEO DE INCRÍVEL BELEZA

    http://vimeo.com/39213352

    A música que ambienta o fundo sonoro é original do filme “Out of Africa”, que por si só já recomenda.

    Bjo Norma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *