“Uma coisa posso lhe dizer com certeza: tudo está bem, tudo está acontecendo como deveria”, Robert Adams

Alguns discursos esclarecem coisas, outros nos instigam e obrigam a buscar mais elucidações, como se fossem peças de um quebra-cabeça. O parágrafo abaixo, do autor americano da tradição indiana do Vedanta Robert Adams (1928-1997), autor de “Silence of the Heart” e “All Is Well”, reúne as duas coisas. Chamado por alguns de “São Francisco de Assis do Oeste”, discípulo do sábio indiano Ramana Maharshi (1879-1959) e de seu método de auto-investigação, Adams pregava a busca da resposta para a clássica pergunta “quem sou eu?“, mas, ao mesmo tempo, buscava sempre emanar uma qualidade real de que não há nada errado e tudo está onde deve estar. “Tem uma coisa que posso lhe dizer com certeza. Tudo está bem. Tudo está acontecendo como deveria. Posso lhe dizer que verdadeiramente nada está errado em nenhum lugar. Se você pensa que tem um problema, esse é o erro – pensar que você tem um problema. Assim que você parar de pensar, tudo ficará bem.”

Segue o trecho:

“Quando você percebe que o universo inteiro é uma manifestação da sua mente, você se torna onipresente. E na onipresença estão contidas todas as nossas necessidades, e todas as nossas necessidades são preenchidas a partir do nosso interior. Mas quando você começa a se preocupar e a pensar sobre isso, você estraga tudo. Então você tem que fazer coisas humanas para tomar conta de si mesmo. Mas se você deixa essa camada humana sozinha, e volta para a compreensão que está tudo na sua mente, você automaticamente solta a mente, e o Ser toma conta, trazendo as pessoas certas pra sua vida, a situação certa, o endereço certo. Lembre-se, seu corpo veio para essa terra por causa do karma. E vai passar pelo que quer que tenha que passar. Mas você não tem nada a ver com isso porque você não é seu corpo. Mas se você pensar sobre isso você estraga. Por isso, permita seu corpo fazer o que quer que ela tenha vindo fazer aqui. Não interfira. Não lute. Simplesmente observe. Não reaja. Você ficará bem.”
~ Robert Adams

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

22 Comentários

  • Apenas se soltar. Como a folha que se desprende do seu galho e não reluta em ir por aqui ou por ali. Independe de quantas volutas fizer, o caminho que a espera, está lá.

  • A vida, para mim, é a grande Mestra de todos os mestres. Portanto, num nível profundo concordo com a colocação de Robert Adams.
    No entanto, penso que para vivermos neste nível de consciência precisamos, antes, resgatarmo-nos à nós mesmo.

    • Áurea,

      Nós somos o nosso maior Projeto de Vida. (A Astrologia ensina que filho não é ‘marca pessoal’ – rs.)
      Então, toda ‘indicação’ é por mim amorosamente bem-vinda. Obrigada.

      +++++++
      Wolber diz que “VIVER NÃO É LUTAR, MAS BUSCAR UMA HARMONIA QUE NÂO PRECISA SER GRANDIOSA.”.

      Deveria ser pintada no teto.
      Para quando se abrisse um olho e depois o outro: lê-la e começar o dia impregnado por ela.
      Acho que ela possa ajudar a frear os sussurros/gritos do Superego em nossas ‘orelhas’, com suas exigências que nos impede de fazer muitas coisas, prazerosas, às vezes, ou simplesmente bobas, já que para ele o ideal é ficar dentro do convencionado como Normal. Há luta – porque fora do estipulado como média (medíocre) tudo está errado, é imoral, amoral, deselegante, indesejável, ridículo.
      Assim não há Alma que aguente… simplesmente debanda fraccionada!

      Há um Gif: “Freud’s theory of the personality” que é o desenho de uma cabeça masculina vazada, onde acima das sombracelhas vê-se 3 homenzinhos, vestindo camisetas, que mostra bem isso, onde se lê:

      1) O Homem vestido a camiseta ID – pensa o seguinte:I WANT IT NOW;

      2) O da EGO: I NEED TO DO A BIT OF PLANNING TO GET IT;

      3) SUPEREGO: YOU CAN’T HAVE IT. IT’S NOT RIGHT.

      Non è facile… :)

  • Norma, ando estudando muito o super-ego, minha contribuição para o script dele seria: “YOU SHOULD HAVE IT, BUT YOU’RE TOO DEFECTIVE. FORGET IT, YOU’LL NEVER GONNA GET IT”.

    Seria cômica se não fosse trágico…

    Namastê e Boa Páscoa!

    • “BUT YOU’RE TOO DEFECTIVE”
      Entendo e como!
      “seja gentil, pois todos estão travando uma difícil batalha“. Platão
      Dharmalog – publicado em 9 de Janeiro de 2012 /// por Nando Pereira

      Todos são todos. Inclusive os ‘felizes proprietários’ desses citados super-egos.

      +++++++

      Eu sou melhor que você. Moreno Veloso (um upgrade do Poema em Linha Reta do Pessoa?)

      http://youtu.be/VHk5qZk3qzA

      Fique bem.

  • Nando,

    Parece me ser de forma consciente a maneira criteriosa (O mérito é seu? Parabéns! O ‘Conhecimento’ caminha e se expande – independente se vc os escolhe ou é escolhido como intermediário – rs.), com a qual os textos/temas tem sido selecionados, frequentemente apresentando grandes ALMAS TRANSGRESSORAS (incluo aí o rapaz, que atendendo aos seus anseios, foi viver na rua entre os desvalidos), cujos os super-egos se tornaram inócuos. E, é aí que a minha “Magnificat Anima” se anima com as palavras do Robert Adams:”Simplesmente observe. Não reaja. Você ficará bem.”

    Nanastê e Feliz Páscoa para ti e para todos.
    Norma

    • Norma, obrigado e espero que tenha tido uma ótima Páscoa também. Acho que transgressão é uma palavra curiosa neste caso: pode significar essa “afronta” a um padrão estabelecido, uma reação desafiadora, mas pode ser outra coisa. Quando começamos a nos espreguiçar e acordar, como essas grandes almas a que você se refere fizeram, percebemos um choque entre o que elas vêem e como vivem, e a realidade em que nós estamos e vivemos. Mas, se considerarmos que o que eles vêem e vivem é mais claro e mais real, os transgressores, no mau sentido, somos nós. Eles não estão contra nada, estão indo a favor. Nós é que estamos transgredindo tudo e desafiando a ordem natural das coisas num estado, vamos dizer, de ignorância dessas próprias coisas. Como vc mesma citou, reafirmando Robert Adams: ”Simplesmente observe. Não reaja. Você ficará bem”.

      Namastê!

    • Nando,
      Qdo usei a palavra “transgressora” é porque não havia (não há) outra p/significar como eu vejo esses ‘desbravadores’. A atitude de transgressão (ou rótulo) é vista/interpretada por quem está no ‘sistema’ contrário, cristalizado, estabelecido, e não quer (não permite) outra postura (mudança/paradigma/enfoque). Nunca será a visão do ‘trangressor’ que chegou a esse estágio por longos caminhos (provavelmente doloridos) e após muitos “bons combates” e ‘crises’.
      Uma semaninha boa para todos.
      Norma

      (já que parece existir uma regra que diz ser de ‘bom tom’ passar batido por elogios (rs), ratifico: Que bom que o Dharmalog deixou de ser pessoal e assim, maior no. de pessoas podem usufruir…!).
      +++++++++
      Para não chegar de mãos vazias # aprendi com o D.Choopra – Pisc*

      “Tudo já foi dito.
      Basta agora continuar repetindo.
      Não para que me ouçam.
      Mas para que eu me lembre.”
      (autor:?)

      Tão importante quanto os ‘transgressores’ é são as Almas ‘Cabras Montanhesas'(o Eremita) perseguindo os seus objetivos. O homem que plantava árvores é um tributo ao trabalho árduo e à paciência:

      http://youtu.be/Klx8UBMRrMA

      Este vídeo, uma curta premiado, fala da história de um homem solitário que transformou uma terra desolada em uma floresta, onde percebemos o arquétipo do Eremita, do solitário, do homem silencioso, preocupado com a vida, com a Natureza e que se dedica a sua tarefa a despeito de tudo o mais. Também é um grande ‘Combate’,
      n’est-ce pas? – rs. Nac.

    • Eu tava provocando e fazendo um contraponto “concordante”, se é que isso é possível (rs).

      Sobre o elogio, já q vc insiste, a resposta técnica é, sim, por enquanto sou apenas eu quem faz as seleções, textos e posts aqui, mas a maioria deles é com ajuda direta ou indireta de várias pessoas, daqui, do Facebook, por email, e você inclusive. Algumas vezes também, embora um tanto raro por enquanto, peço permissão para traduzir um post inteiro de algum blog em inglês, ou trago de algum autor em português.

      Dá trabalho e é feito com esmero e amor, embora nem sempre saia decente (rs), mas nem este nem os outros blogs citados tem mérito algum nesse sentido, o que se faz é apenas comunicação, o que vale são os assuntos e os gigantes dos posts. Como essas palavras de Robert Adams, ou a do post de ontem, por exemplo, a palestra da pesquisadora Willboughby Britton, ou do Jung, Thoreau, Capra, Ruiz, Amit, Wilber, Dalai Lama (!)…

      E se vemos mais, como diria Isaac Newton, é “by standing on the shoulder of the(se) giants”.

  • “Evito dizer que alguém é doente mental, tem síndrome e transtorno disso ou daquilo. A sociedade uniformiza tudo para ter previsão e controle, mas não estamos dentro de uniforme nenhum, somos seres viventes. Costumo dizer que a sociedade nos quer meio mortos, não nos quer vivos. Tive um professor nos Estados Unidos, o Carkhuff, que constatou ser pleonasmo dizer que quem está crescendo é marginal. A maioria está na média: 68% das pessoas são medianas, estão na moda, dentro das convenções, adaptados. Outros 16% estão abaixo da média e nunca vão ter a chance de ser medianos. Os outros 16% estão acima da média. E quando você deixa de ser um sujeito adaptado e cria, eles não entendem, porque só compreendem a convenção.”

    Amigos,

    Cito Wolber para dizer-lhes que minha meta é estar no grupo dos 16% que, enquanto vivos, querem toda a vida de que são capazes.
    Obrigada pela ajuda que vocês estão me dando.
    Feliz Páscoa para todos!

  • Áurea,
    Faça a tua revolução na evolução e compartilhe com o Mundo todas as tuas potencialidades “não desabrochadas”. Feliz Páscoa!

    (vivamente influenciada pelo o abaixo e num pensamento de Jung que me veio à mente ao pensar na ‘solidão’ de Jesus, nos seus últimos dias)
    “Desceu até o inferno da solidão humana, gritando nos extertores da cruz: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste”? Porque desceu até ao mais profundo, Deus o elevou até ao mais alto. É o significado da ressurreição, não como reanimação de um cadáver, mas como uma revolução na evolução, realizando nele, antecipadamente, todas as potencialidades escondidas no ser humano. Ele irrompeu como criatura nova, mostrando o fim bom de todo o processo evolucionário.” L.Boff

    ”Não podemos deixar que o urgente comprometa o essencial” Secretário Geral da ONU Ban Ki Moon

    http://leonardoboff.wordpress.com/2012/04/06/paixao-de-cristo-paixao-da-terra/

    ++++++++++

    “A solidão não significa ausência de pessoas à nossa volta, mas sim o fato de não podermos comunicar-lhes as coisas que julgamos importantes, ou mostrar-lhes o valor de pensamentos que lhes parecem improváveis” – Jung

    • Exatamente, William. Acho que a gente sente a potência desse discurso justamente porque acreditamos que a realidade é o contrário, caótica, despropositada e cheia de problemas.

      Vou trazer mais alguns discursos do Robert Adams pra gente.

      ABS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *