Elogios, caminhadas e mesas de ping-pong: Shawn Achor e a “vantagem da felicidade” contra o estresse nas empresas

O psicólogo Shawn Achor, autor do livro “The Happiness Advantage (The Seven Principles of Positive Psychology That Fuel Success and Performance at Work)” (A Vantagem da Felicidade, os Sete Princípios da Psicologia Positiva que Estimulam Sucesso e Eficiência no Trabalho), é um otimista em relação ao combate do crescente estresse nas empresas, e é um dos que sugere manobras que emulam situações positivas para mudar os padrões cerebrais e torná-los positivos, e, assim, criar felicidade real. Numa entrevista à Random House Inc, Achor combate a visão de que funcionários otimistas são menos inteligentes (“isso não é coisa de Pollyanna”) e cita o exemplo de empresas como a gigante de seguros americana MetLife e como ela mudou sua política de contratações baseada em um único fator: o otimismo.

No fim da entrevista, Achor cita algumas das manobras que foram bem-sucedidas na redução do estresse dos funcionários, e algumas delas já vimos mais de uma vez em empresas consideradas das melhores para se trabalhar — entre elas, mesas de ping-pong, pianos, pequenas caminhadas durante o expediente e lanches saúdáveis.

Três respostas selecionadas de Achor dadas na entrevista seguem traduzidas abaixo. A entrevista completa, em inglês, está aqui.

//////////

Q&A AUTHOR SHAWN ACHOR [TRECHO] Por Random House Inc

Uma pesquisa da Conference Board publicada no início de 2010 encontrou a mais baixa satisfação profissional em 22 anos. O dia de trabalho tem se alongado, a tecnologia aumentou o ritmo de trabalho, e as empresas estão mais enxutas que nunca, tudo isso está certamente trazendo mais estresse aos empregados. Isso vai mudar?

SHAWN ACHOR: As mudanças no panorama econômico global fazem dos empregados felizes e mais engajados a maior vantagem competitiva no ambiente de trabalho moderno. As empresas que ignoram o bem-estar do empregado irão muito atrás dos seus competidores. Pesquisas mostram que cérebros felizes funcionam significativamente melhor que os negativos ou ansiosos, e os custos de treinamento devido à rotatividade de funcionários e os custos de saúde dos empregados infelizes e doentes é astronômico, e a grande resistência nas empresas agonizantes.

Assim eu começo a ver uma mudança. As principais empresas estão vendo que mais horas, maior estresse e que ignorar a felicidade é uma receita para o fracasso.

*

Algumas pessoas dizem que você não pode ser feliz e trabalhar ao mesmo tempo, e que pessoas felizes são menos inteligentes no trabalho. Isso é verdade?

SHAWN ACHOR: Alguns pensam que enfrentar obstáculos com um nível algo de otimismo é estúpido e coisa de Pollyanna. Mas acontece que é uma das maneiras mais bem-sucedidas de avançar no mundo dos negócios.

Quando a gigante de seguros MetLife começou a avaliar como seus empregados lidavam com os reveses, descobriu algo extraordinário. Os testes revelaram que os agentes com os jeitos mais otimistas de explicar as dificuldades vendiam 37% mais seguros do que os pessimistas. Os agentes mais otimistas na verdade vendiam 88% mais do que os pessimistas. Além disso, os agentes que eram mais otimistas tinham metade da probabilidade de se demitir do que os pessimistas. Sabendo que tinha encontrado ouro, a MetLife mudou suas práticas de contratação para focar no otimismo. Em poucos anos, a MetLife viu despencar sua taxa de rotatividade de funcionários enquanto sua parcela no mercado aumentou em quase 50%.

A felicidade na verdade aumenta os resultados de todos os negócios, assim como melhora inteligência, criatividade, precisão e energia.

*

Quais são algumas das formas que as empresas tentam criar a “The Happiness Advantage” (“A Vantagem da Felicidade”)?

SHAWN ACHOR: O estresse nunca vai desaparecer, então você precisa um canal de conexões positivas no trabalho para prevenir o esgotamento e a tomada de decisões pobre. As empresas que sobrevivem aos desafios são aquelas que constróem intencionalmente a resiliência. Nas empresas que trabalhei, algumas das técnicas mais efetivas que eu encorajei incluem:

Começar as reuniões com as coisas positivas, e não com os problemas.

• Escrever um email de duas frases, uma vez por dia, quando você abre sua caixa de mensagens, elogiando alguém do seu time.

• Fazer um investimento nominal em lanches saudáveis para pessoas que se reúnem mais

• Colocar uma mesa de pong-pong ou um piano para pessoas jogarem ou tocarem nos intervalos.

• Fazer os empregados aprenderem uma ou outra informação sobre cada membro do time uma vez por dia, durante duas semanas

• Encorajar uma breve caminhada uma vez por dia.

• Realizar um ato de bondade aleatório uma vez por dia, durante duas semanas.

//////////

A psicologia positiva de Shawn Achor também foi assunto de um outro post recente aqui: “Apenas 10% do que acontece no “mundo externo” influencia nossa felicidade, diz Shawn Achor – TED Talk [VÍDEO]

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

1 Comentário

  • Acho que procede. Um equipe de só de ‘Cassandras’ é desesperador em qq Cia. (rs).
    Fica-se só drenando o pântano e não se extermina os jacarés.
    Qto ao estresse acho válida todas as alternativas (lúdicas – criativas) para mantê-lo em níveis benéficos.
    Grata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *