Os 10 mandamentos liberais de Bertrand Russell: sobre verdade, opiniões, certezas e tolice

Em 1969, um ano antes de sua morte, o filósofo e lógico britânico Bertrand Russell (1872-1970), conhecido antagonista da religião, se vestiu de Moisés do novo pensamento e criou 10 mandamentos que chamou de “Um Decálogo Liberal” (“A Liberal Decalogue” está no livro “The Autobiography of Bertrand Russell”, Vol. 3: 1944-1969, pp. 71-2, e sua primeira versão apareceu primeiro em dezembro de 1951, num artigo para a New York Times Magazine intitulado “The best answer to fanaticism: Liberalism”). “Um novo decálogo não tem intenção de substituir o antigo, mas de complementá-lo”, disse ele. “Os 10 mandamentos que, como um professor, eu desejaria promulgar, poderia ser definido como o seguinte”:

//////////

UM DECÁLOGO LIBERAL (“A Liberal Decalogue”)
Por Bertrand Russell

1. Não tenhas certeza absoluta de nada.
2. Não consideres que valha a pena proceder escondendo evidências, pois as evidências inevitavelmente virão à luz.
3. Nunca tentes desencorajar o pensamento, pois com certeza tu terás sucesso.
4. Quando encontrares oposição, mesmo que seja de teu cônjuge ou de tuas crianças, esforça-te para superá-la pelo argumento, e não pela autoridade, pois uma vitória dependente da autoridade é irreal e ilusória.
5. Não tenhas respeito pela autoridade dos outros, pois há sempre autoridades contrárias a serem achadas.
6. Não uses o poder para suprimir opiniões que consideres perniciosas, pois as opiniões irão suprimir-te.
7. Não tenhas medo de possuir opiniões excêntricas, pois todas as opiniões hoje aceitas foram um dia consideradas excêntricas.
8. Encontra mais prazer em desacordo inteligente do que em concordância passiva, pois, se valorizas a inteligência como deverias, o primeiro será um acordo mais profundo que a segunda.
9. Seja escrupulosamente verdadeiro, mesmo que a verdade seja inconveniente, pois será mais inconveniente se tentares escondê-la.
10. Não tenhas inveja daqueles que vivem num paraíso dos tolos, pois apenas um tolo o consideraria um paraíso.

//////////

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *