“Tudo o que vejo são tolos / empilhando mais e mais alto ouro e grãos”, Han-Shan (POEMA)

“Tudo que vejo são tolos
Empilhando mais e mais alto ouro e grãos
Ficando bêbados e comendo criaturas
Imaginando que estão se dando bem
Inconscientes do abismo do Inferno
Buscando apenas a felicidade dos Céus
Mas com karmas como Vipula*
Como podem escapar do desastre?
Subitamente quando o homem rico morrer
As pessoas se acotovelam ao redor se debulhando em lágrimas
Então contratam algum monge para cantar
Apesar de tal paga fantasmagórica ser nula
E providenciar bençãos futuras
Por que sustentar os carecas?
Melhor despertar ainda a tempo
Não crie um inferno de escuridão
Seja uma árvore que não teme vento algum
Firme e imovível pelo destino
Diga aos tolos que for encontrando por aí
Que dêem ao menos duas lidas nisto”.

~ Han-Shan, poeta zen do século IX
(“Poemas Reunidos de Han Shan“)

* Vipula é o nome de uma montanha na Índia. Quer dizer “enorme” em sânscrito e era com frequência usada pelo Buda como uma metáfora para coisas sem limite aparente.

Tradução: Monge Marcos Ryokyu.

//////////

Compartilhado pelo Templo Zen de Copacabana

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *