“Não é necessário remover nada”: entendendo o dualismo com Thich Nhat Hanh

A elucidação do problema do dualismo é um tema fundamental nas escolas orientais de filosofia, e, quanto mais avança qualquer aspirante ao auto-conhecimento ou ao conhecimento da realidade, maior é a necessidade de entender esse conceito. O monge budista vietnamita Thich Nhat Hanh (Caminhos Para a Paz Interior, Cultivando a Mente do Amor) tem um discurso simples sobre o dualismo e o texto “O Um Contém o Todo” (abaixo) transmite essa compreensão.

//////////

O Um Contém o Todo
Por Thich Nhat Hanh

Não é necessário remover nada do que existe. De fato, não há nada que possamos retirar da existência. Se tirássemos uma coisa, teríamos que tirar tudo, por que o um contém o todo.

Quando entramos na cozinha num dia de inverno nos sentimos aquecidos e confortáveis. Nossa sensação de calor e conforto não é devida ao fogão que está na cozinha, ela se deve ao frio que está lá fora. Se o tempo fora não tivesse frio, não teríamos a sensação de conforto ao entrar na cozinha quente. Sentimentos agradáveis são feitos de sentimentos desagradáveis. Sentimentos desagradáveis são feitos de sentimentos agradáveis. Isto é assim por que aquilo é assim. Uma formação mental contém todas as outras formações mentais. Toda semente contém todas as outras. A semente da raiva contém dentro de si a semente do amor. A semente da ilusão contém dentro de si a semente da iluminação. Cada gene de nossas células contém todos os outros genes. Num bom ambiente, um gene nocivo pode lentamente se transformar em um gene saudável. Essa idéia pode abrir muitas portas para modernas terapias.

Esse é o ensinamento do Buda. Quando nos esquecemos deste ensinamento somos arrastados para o mundo de nascimento e morte. Mas quando transformamos nossa distração em plena consciência, vemos que não existe nada que necessitemos rejeitar ou descartar.”

//////////

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

6 Comentários

  • Como nos faz bem a sabedoria simples e profunda que sai do coração desse grande mestre e nos atinge como gotas de luz em nossas almas tão necessitadas.
    Thich Nhat Hahn seria um digno representante
    do “Prêmio Nobel da Paz”, caso esse prêmio fosse realmente conferido àqueles que realmente o merecem; entretanto, passando os olhos nos nomes daqueles que com ele foram agraciados, podemos notar o quanto de política e de enganos ele está inserido.

  • Como diz Chico Xavier: O ódio é o amor que adoeceu!

    Não existe nada nocivo, existe o necessário.

    Sou corretor de seguros, e se não tivesse o fogo ninguém precisaria fazer seguro de incêndio.
    Se não tivesse o roubo de carros, da mesma forma não precisaria fazer o seguro.
    Não precisaria do policial, do Advogado, do Delegado, do Juiz, do Promotor, etc.
    E nem de cadeias lotadas.
    H2 0 – É o elemento que forma a composição da água.
    H202 – é peróxido de hidrogênio – um produto corrosivo.
    Vejamos mudamos apenas um átomo e formamos uma nova molécula.

    Tudo tem a sua utilidade, embora não estejamos a altura do compreender.

    Deus sendo bom jamais teria criado algo que fosse mau.

    Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *