Paramahansa Yogananda e as condições da felicidade: paz interior, vida simples e pensamento elevado

Uma das coisas que mais gosto nesse tipo de discurso do yogue Paramahansa Yogananda (1893-1952) é a quantidade de vezes que ele fala e ressalta a importância de “auto-análise“. Em meio a expressões que para alguns podem soar religiosas demais, como citar a própria entidade divina, Yogananda fala de felicidade invariavelmente repetindo a necessidade do autodomínio, da força interior perante as circunstâncias adversas e do agir a partir dessa necessidade das mudanças conscientes, todas qualidades fortes de muitos dos principais cânones do Yoga. Mas Yogananda fala simples, fácil e .

O trecho abaixo é do livro “A Eterna Busca do Homem“, capítulo “Auto-análise, Chave para Dominar a Vida” (p.78 e 79), já citado aqui anteriormente.

//////////

Auto-análise, Chave para Dominar a Vida
Por Paramahansa Yogananda

“Vida simples e pensamento elevado devem ser a meta. Aprenda a levar em você todas as condições da felicidade, meditando e sintonizando a consciência com a influências externas. Seja qual for o ambiente, não permita que sua paz interior seja afetada por ele. Analise-se, torne-se o que você deve e quer ser. Raramente as pessoas aprendem o verdadeiro autodomínio, fazem coisas que prejudicam seu bem-estar maior e pensam estar sendo felizes; mas não são. Ser capaz de fazer as coisas quando e porque devem ser feitas, e recusar-se a fazer o que sabe que é prejudicial – eis as chaves do sucesso e da felicidade verdadeira.

Não mantenha a mente ocupada com muitas atividades. Analise o que ganha com elas e veja se são realmente importantes. Não desperdice tempo. Ler um bom livro é muito mais útil do que ver filmes. Costumo dizer: “Se você lê durante uma hora, escreva em seu diário espiritual durante duas horas; se escreve durante duas horas, pense durante três horas; se pensa durante três horas, medite todo o tempo”. Onde quer que eu vá, matenho a mente continuamente na paz da alma. Você também deve sempre apontar a agulha da atenção para o pólo norte da alegria espiritual. Então, ninguém poderá jamais perturbar seu equilíbrio.

Lembre-se disto: se cada novo dia não encontrá-lo melhor do que no dia anterior, você está regredindo – em saúde, paz mental e alegria da alma. Por quê? Porque não exerce controle suficiente sobre suas ações. Você mesmo criou seus hábitos e você mesmo pode mudá-los. Se tem pensado de maneira errada, tome a decisão de andar em boas companhias, estudar e meditar. Uma mudança de companhia pode fazer grande diferença. A influência mais forte na vida, ainda mais forte que a força de vontade, é o ambiente. Modifique-o, se necessário. Enquanto não for mentalmente forte, nunca será o que deseja ser sem um bom ambiente para ajudá-lo. Quando encontrar dificuldade em modificar-se para melhor, companheiros espirituais e outras influências inspiradoras serão essenciais.

A auto-análise também é essencial para ajudá-lo a aprimorar-se. Se puder analisar-se corajosamente, será capaz de suportar, sem pestanejar, uma análise crítica feita pelos outros.

Aqueles que gostam de falar dos defeitos alheios são abutres humanos. Já existe maldade demais no mundo. Não fale mal, não pense mal e não faça mal. Seja como a rosa, exalando para todo o doce aroma da bondade da alma. Faça todos sentirem que você é um amigo, que está pronto a ajudar, não a destruir. Se quiser ser bom, analise-se e desenvolva as virtudes que existem em você. Expulse a idéia de que o mal faz parte de sua natureza e ele se irá. Faça os outros sentirem que você é uma imagem de Deus, não pelas palavras, mas pelo comportamento. Enfatize a luz e não existirá mais escuridão. Estude, medite e faça o bem aos outros.”

Assuntos desse conteúdo
, , , , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *