Ninguém alcança felicidade verdadeira sem desapego (Vairagya), explica Swami Sivananda

Abaixo trecho traduzido do livro “How To Get Vairagya (Desapego)”, capítulo “Happiness is Within” (A Felicidade está Dentro), por Sri Swami Sivananda (1887-1963), um dos maiores mestres de Yoga da Índia.

“Por que os homens correm atrás de prazeres dos sentidos? Qual é o conceito deles de felicidade? Os Samskaras (sementes mentais que contém nosso passado gravado) os forçam a repetir os mesmos atos sensuais de novo e de novo? O homem é uma mera criatura do ambiente ou circunstância? Ele pode sublimar seus Samskaras por meios efetivos e adequados?

Devido à ignorância o homem corre pra lá e pra cá procurando felicidade nos objetos. Um pequeno pão de gengibre e alguns doces, um filho e uma esposa jovem, uma boa posição e poder e um pouco de dinheiro no banco preencherá seu coração com alegria e acalmará seus nervos. Isso é tudo que ele quer. A benção do Atma, a suprasensual Paz e Bem-Aventurança, o conhecimento e o êxtase espirituais são desconhecidos pra ele. Ele não os quer. Pior, ele não gosta deles. Ele odeia pessoas que falam sobre coisas maiores ou sublimes. Acredite, os homens podem obliterar seus Samskaras através de Purushartha ou esforço correto. Não somos criatura do ambiente ou da circunstância. Somos mestres do nosso destino.

No meio do barulho e da agitação da vida mundana, aparecem momentos de paz e tranquilidade, quando a mente, naquele momento, por mais curto que seja, se eleva acima das coisas mundanas e reflete sobre os problemas maiores da vida, como o porque e o como da vida, e o enigma do universo. O homem começa a perguntar: “Quem sou eu?“. O perguntador sincero se torna sério e fica absorto nas suas reflexões. Ele começa a procurar e a entender a Verdade. A discriminação da Verdade nasce nele. Ele busca Vairagya (desapego), concentração, meditação e purificação do corpo e mente e eventualmente conquista o Conhecimento mais alto do Ser. Mas o homem cuja mente está saturada de Vasanas (desejos em forma sutil) mundanos e veneno materialista é bastante negligente e é irresistivelmente carregado pelas correntes de Raga (Afeição) e Dwesha (Aversão) e jogado pra lá e pra cá na tumultuada corrente Samsárica das preocupações mundanas.

Ah! Quão incerta é a vida sensual nesse mundo! Se você pensar constantemente na natureza transitória do prazer sensual e seus concomitantes demônios, por exemplo misérias, preocupações, problemas, atribulações, ansiedades e morte prematura, então você vai desenvolver lentamente Vairagya. O Vairagya que vem momentaneamente devido à perda de uma esposa, relação, amigo, filho ou propriedade; esta não lhe ajudará muito no caminho espiritual. O que é realmente necessário é o Vairagya nascido da discriminação (Viveka).

Na presença de prazer sensual, a felicidade espiritual não pode existir, assim como a escuridão não pode existir na presença da luz. Por isso mostre uma contenção extrema por objetos do mundo. Destrua todos os desejos. Coloque sua mente longe dos objetos sensuais. Você desenvolverá Vairagya.

Você mesmo fez sua vida complexa e intrincada. Vocês meteram vocês mesmos nesse atoleiro do Samsara (roda repetitiva da vida e sofrimento). Vocês multiplicaram suas vontades e desejos. Todo dia vocês constróem um novo link na cadeia de escravidão. A simplicidade desapareceu. Hábitos luxuriosos e os estilos de vida se tornaram uma coisa só. Não surpreende que haja desemprego em todo lugar. As pessoas estão morrendo de fome. Há depressão no comércio. Há estresse em todo lugar. Há uma devastação gigante por terremotos. As cortes de divórcio estão se multiplicando. Uma nação tem medo de outra nação. Uma nação suspeita que outra nação esteja preparando uma grande guerra. A vida se tornou objeto de insegurança e incerteza. Se tornou um bolo de confusão, caos e medo. Se tornou tempestuosa e barulhenta. Está cheia de sub-correntes, correntes cruzadas, subterrâneas e misturadas. Existe alguma maneira de escapar desses problemas e dificuldades? Há só uma maneira. Leve uma vida de desapego, auto-controle, pureza, serviço altruísta, amor cósmico. Desenvolva o hábito de exercitar o correto ponto de vista, correto pensar, correto sentir, correto agir, com correta atitude mental, ou Bhav. Pratique devoção e meditação.”

———-

[ Foto: Seagull por cito17 @ Flickr ]

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *