Dr. Oz conta sua experiência com diagnóstico de câncer em matéria de capa da TIME

O que você sentiria se fosse o médico mais famoso da televisão americana, com um programa próprio e assessor de Oprah Winfrey, e, de uma hora pra outra, recebesse um diagnóstico com possibilidade real de câncer? É esta a intrigante história do médico Dr Mehmet Oz, ícone nos Estados Unidos e apresentador do The Dr. Oz Show (transmitido no Brasil pela FOX), lançado após suas bem-sucedidas aparições como assessor médico no programa de Oprah. Em artigo especial capa da revista Time, “O Que Aprendi do meu Susto do Câncer” (What I Learned from my Cancer Scare), Dr Oz relata em primeira pessoa seu caso de diagnóstico de pólipos pré-câncerígenos no intestino, após uma colonscopia de praxe. “Sou um médico que dá conselhos para viver. Passei muito da minha vida profissional exaltando o valor de comer de maneira saudável e do exercício regular, e eu faço ambos. Então como isso foi acontecer comigo?“, escreve o médico.

Uma das coisas que impressionam no relato de Dr Oz é justamente isso, o fato dele ser médico e apresentador de renome, ou seja, tem o conhecimento técnico para evitar doenças e tem uma reputação internacional a zelar baseada (também) na sua saúde. “Quando é com você, sua mente viaja. Que erro eu cometi? Eu poderia ter feito alguma coisa diferente? O que eu digo pra minha esposa e pros meus filhos? E seu eu realmente tiver câncer? Fiz tudo que queria na minha vida?”

Fiquei com duas grandes impressões desse relato pessoal de Dr Oz. A primeira é que sentir o pânico dele questionando as razões da doença sem achar resposta é uma forte mensagem para que todos nós estejamos atentos à nossa saúde, assumindo as responsabilidades e tomando as providências (e fazendo exames). Apesar de Dr Oz citar apenas sua alimentação e exercícios na sua investigação de fatores causadores, já é largamente aceita a influência das emoções, do estresse e outros fatores pessoais como causadores ou agravantes de doenças, então esse cuidado também é fundamental. Mas, ainda assim, mesmo incluindo esses fatores, a razão nem sempre é de fácil descoberta, e a única constante prática é tomar as atitudes mais imediatas pela nossa saúde.

Segundo, é que os cuidados que Dr Oz tomou com sua saúde durante sua vida aumentaram significativamente suas chances de cura, e talvez (quem sabe?) tenham mantido o número de pólipos baixo e/ou benignos (como o segundo encontrado em seu intestino). O médico diz que “números como 75% ou 6% ou 50-50 são abstratos e conceituais” enquanto que o “sentimento de fraqueza e desmaio que você tem quando o seu médico diz ‘Venha me ver no meu escritório’ é algo que todos podemos imaginar hoje'”, mas isso é apenas força de expressão para demonstrar como o medo pessoal se sobrepõe aos fatores racionais durante os exames diagnósticos. Obviamente 75% de chances de cura é bem diferente de 6%, e os cuidados citados.

Abaixo, uma mensagem em vídeo de Dr Oz no evento Stand Up 2 Cancer:

Assuntos desse conteúdo
,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo capital.

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *