Os 5 principais arrependimentos que as pessoas revelam nos seus últimos dias, conta enfermeira

A cantora Bronnie Ware já trabalhou como enfermeira de pacientes terminais, naquele estágio onde eles são enviados para suas casas para seus últimos momentos, geralmente nas 3 a 12 semanas finais de vida, e da sua experiência, ela conta quais os arrependimentos mais comuns dessas pessoas. Em seu blog, listou os 5 principais (traduzido abaixo), e, em cada item, tomei a liberdade de acrescentar um vídeo que ajudasse a sentir ou entender o que está sendo dito – geralmente o trecho de um filme, trailer, episódio ou uma música.

Eis a lista de Bronnie Ware:

1. Queria ter tido a coragem de viver uma vida verdadeira para eu mesmo, não a vida que os outros esperavam de mim.

“Este é o arrependimento mais comum de todos”, escreve Bronnie. “Quando as pessoas sentiam que suas vidas estavam no final e conseguiam olhar claramente pra trás, era fácil ver quantos sonhos ficaram sem ser realizados”.

Vídeo: Clipe-trailer do filme “Antes de Partir” (The Bucket List), com Jack Nicholson e Morgan Freeman, música de John Mayer.

 

2. Queria não ter trabalhado tanto.

“Todos os pacientes homens falaram isso”, conta Bronnie. “Eles sentiam falta da sua juventude e da companhia da sua esposa. (…) Simplicando a vida e fazendo escolhas conscientes no caminho é possível nã precisar tanto do dinheiro que você tem que trabalhar pra fazer”.

Vídeo: clipe da música “Epitáfio”, dos Titãs.

 

3. Queria ter tido coragem de expressar meus sentimentos.

“Muitas pessoas reprimem seus sentimentos pra não criar conflito. Por causa disso, eles criam uma vida medíocre e nunca se tornam o que poderiam verdadeiramente ter se tornado. Muitos desenvolveram doenças relacionadas com a amargura e o ressentimento que carregaram como resultado.”.

Vídeo: clipe do filme “O Amor Não Tira Férias” (The Holiday), estrelado por Kate Winslet e Rufus Sewell.

 

4. Queria ter mantido contato com meus amigos.

Bronnie: “Todos sentem saudades dos amigos quando estão morrendo. (…) Geralmente eles não entendem os benefícios totais de ter velhos amigos até suas semanas finais, mas nem sempre é possível entrar em contato com eles”.

Vídeo: entrevista com “cenas erradas” do seriado Friends (1994-2004) ao apresentador Conan O’Brian.

 

5. Queria ter me deixado ser mais feliz.

“Surpreendentemente este é um muito comum”, diz Bronnie. “Muitos não se tocam até o final que a felicidade é uma escolha. Ficaram presos a velhas escolhas e velhos hábitos. Medo de mudança os mantiveram fingindo pros outros, e pra eles mesmos, que eram felizes. Lá dentro, eles queriam ter rido mais e ter tido mais besteiras na vida”.

Vídeo: clipe da música “Hakuna Matata”, do filme “The Lion King”, da Disney Pictures.

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

13 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *