Hawking: “Existimos porque a gravidade existe, não Deus”

O físico britânico Stephen Hawking, conhecido por seu trabalho em cosmologia teórica e autor de “Uma Breve História do Tempo“, entre outros livros, não acredita em paraíso, nem em consciência, nem em Deus, segundo entrevista ao jornal The Guardian (“Hawking: there is no heaven; it’s a fairy story“). Segundo ele, “o cérebro é como um computador que vai parar de trabalhar quando seus componentes falharem. Não há paraíso ou vida além da morte para componentes de computadores quebrados”.

Hawking se dizia agnóstico há até pouco tempo, mas parece ter abandonado a dúvida para abraçar o ateísmo. Em seu novo livro, “The Grand Design“, ele atribui toda a existência do universo à lei da gravidade (embora não diga de onde ela vem). “Por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar a ele mesmo do nada. A criação espontânea é a razão pela qual algo existe ao invés de não existir nada, é a razão pela qual o universo existe, pela qual nós existimos”. Sobre essa crença, Deepak Chopra, o médico e autor de “Como Conhecer Deus” e “Vida Após a Morte”, diz que “o livro é mais intrigante quando nega Deus mas ainda assim afirma a existência de todos os ingredientes, seja explicita ou implicitamente, que um criador de tudo desenharia para criar a ele mesmo”.

Apesar da polêmica, Hawking não afirma a não-existência de Deus ou de qualquer outra entidade maior (pois obviamente teria que apresentar provas), mas tão somente a não-necessidade do papel de um criador para explicar sua visão cosmológica. Ele admite que a explicação completa sobe a existência pode estar fora da capacidade de compreensão da nossa mente racional, e mesmo suas afirmações mais importantes são precedidas de cautela. Abaixo, um trecho do livro “The Grand Design”, do original, em inglês (grifo meu):

“(…) Regarding the laws that govern the universe, what we can say is this: There seems to be no single mathematical model or theory that can describe every aspect of the universe. Instead, there seems to be the network of theories, With each theory or model, our concepts of reality and of the fundamental constituents of the universe have changed.
~ Stephen Hawking & Leonard Mlodinow, The Grand Design (2010)

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

11 Comentários

  • como podes dizer um absurdo deste.?!
    a gravidade é apenas um componente do universo, nao póde ser entendida como a existencia de um ser humano, não é coerente fazer uma afirmação desta. Até porque a gravidade apenas nos mantem equilibrados no mundo,mas a força, o apoio em todas dificuldades vem de Deus.e só quem o ama inteiramente e o tem em sua vida como eu,é que sabe a verdadeira razão de ainda esta na terra sobre a vontade dele é claro.
    se algo se cria é porqeu Deua permite.
    espero que um dia possa entender o que estou dizendo.

  • Se razão da nossa existencia é a gravidade,qual é então a razão da existencia da gravidade sendo que ela é so mais um componemte para sustentar a vida na terra, e outro raciocinio com falta de dicernimento vindo acompanhado de ingnorancia é esse de que a gravidade criou , criou aquilo, criou isso, isso é totalmente uma conclusão de uma teoria irracional vindo acompanhado de ingnorancia e hipocrisia, porque a gravidade nao tem vida,ela não pensa,não planeja,não elabora, não projeta, ela só faz oque foi programada para fazer, atua na massa e ser aproveitada pela inteligencia humana, assim como projetaram o windows para opera automaticamente no computador, e nao windows criou ele mesmo e se projetou,é obivio que um componemte formo o outro dentro da natureza do universo mas elas não tem pensamentos para decidir o que vão fazer ou aconteceu por acaso , tudo nesse universo tem uma explicão mas o grande problema é quando o homen não quer explicações e só as perguntas.

    • Boas questões, David. Acho que em alguns momentos você usar força de expressões, como quando diz que a gravidade foi “programada pra fazer”, porque isso soa a um projeto temporal feito por um centro inteligente. Quando a gravidade surgiu? Quem criou a gravidade? Como ela criou a vida (mesmo que seja em uma série de eventos menores em sequência)? E porque criaria ou beneficiaria a criação da vida e não de uma série de outras realidades estáticas estéreis? Os problemas são quase os mesmos.

  • quantas vezes cada um de vocês leram o documentário? o entenderam bem? tem algo nele que complementa o principio dos estudos de galileu algum de vocês percebeu isto?

  • Acho engraçado que o crente tem uma facilidade enorme de acreditar que Deus sempre existiu, nada precisou cria-lo… Agora todo o resto pra existir precisa de Deus lá para criar! Isso não tem nada haver, é mais fácil a gravidade ter sempre existido (que é uma força simples) do que um Deus inteligente e complexo, afinal a complexidade é formada por “coisas” simples… Partindo deste principio se Deus existe ele nada mais é q a Gravidade, a força que controla o movimento dos corpos no universo e na Terra. Na minha opinião a gravidade que é uma força “simples” é até este momento (amanha pode mudar né) a força criada, e nós estamos aqui por uma questão evolutiva tanto do sistema solar quanto da natureza e ambiente terrestre, e nossa complexidade criou (imaginou) o ser criador Deus como sendo a nossa semelhança, nada passa de imaginação humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *