Amar em tempos de cólera

“O ódio existe com o passado e com o futuro, enquanto o amor não precisa nem de passado nem de futuro. O amor existe no presente. O ódio tem uma referência no passado. Alguém abusou de você ontem e você está carregando isso como uma ferida, como uma ressaca. Ou pode ser que você esteja com medo de que alguém vá abusar de você amanhã, um medo, uma sombra de medo. E você já começa a se aprontar, começa a se preparar para ir de encontro à situação. O ódio existe com o passado e com o futuro. Você não pode odiar no presente. Tente e você se sentirá completamente impotente. Tente isso hoje: sente-se em silêncio e odeie alguém no presente, sem qualquer referência ao passado ou ao futuro… você não consegue fazer isso. Isso não pode ser feito. Pela própria natureza das coisas, isso é impossível. O ódio só pode existir se você se lembrar do passado – esse homem fez alguma coisa com você ontem – aí o ódio é possível. Ou esse homem vai fazer alguma coisa com você amanhã – aí também o ódio é possível. Mas se você não tiver qualquer referência com o passado ou com o futuro – esse homem nada fez a você e nem vai fazer, esse homem está simplesmente sentado ali. Como você pode odiar? Você pode amar. (…)”
~ Bhagwan Sri Rajneesh, explicando o Dhammapada

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

2 Comentários

  • Rajneesh tinha sacadas realmente geniais. Eu tinha um pé atras com ele, apesar de vários amigos sanyasin, muito queridos, aindam defenderem suas posições. A relação dele com o dinheiro é que me deixava assim. Mas gosto dos seus escritos, gosto mesmo.
    Você foi em Poona, acho que li em algum lugar? Era ou é sanyasin?
    Nando, um beijo e bom fim de semana, tá?

  • Ele era um sannyasin, sim. Um belo de um sannyasin, cheio de amor, marcante, espontâneo e inspirador. Sei dessa rejeição, mas nunca me afetou, o exemplo dele e a sabedoria dele me ajudaram e me ajudam muito, acho que ajuda muita gente. Lá em Puna o negócio dele é muito bonito, tranquilo, tem uma vibração boa. Mas eu não gosto muito de ficar falando das pessoas, e sim do que elas estão transmitindo, do dharma, da verdade, da vida. A palavra dele é iluminada, o resto é casca.

    bj, bom fimde pra vc também, Beth.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *