Yogananda pergunta a Ramana Maharshi: porque Deus permite sofrimento no mundo?

Difícil imaginar a força desse encontro, e desse diálogo: o perguntador é Paramahansa Yogananda (1893-1952), um dos maiores yogues da Índia, autor da “Autobiografia de Um Iogue”, e o respondedor é Sri Ramana Maharshi (1879-1950), considerado por muitos o maior yogue do século XX. Muitas pessoas que encontraram Ramana Maharshi ao vivo falam da força da presença dele, de como súbitas clarezas e visões lhes apareciam, como repentinos silêncios se faziam em suas mentes, simplesmente por estarem em frente a Maharshi, algumas vezes até de olhos fechados.

A conversa é breve e aconteceu em novembro de 1935. Está registrada no livro “Face to Face with Ramana Maharshi”, compilado por  Laxmi Narain (2009). O tema é o sofrimento humano e a percepção da natureza divina no ser humano. Ei-la:

Paramahansa Yogananda: Como a elevação espiritual das pessoas pode ser realizada? Quais as instruções para dar a elas?
Sri Ramana Maharshi: Elas diferem de acordo com os temperamentos dos indivíduos e a maturidade espiritual de suas mentes. Não pode haver nenhuma instrução em massa.

Yogananda:  Por que Deus permite sofrimento no mundo? Ele não deveria usar Sua onipotência para evitá-la com um toque ou ordenar a percepção universal de Deus?
Maharshi: O sofrimento é a via para a percepção de Deus.

Yogananda: Ele não deveria ordenar algo diferente?
Maharshi: É como é.

Yogananda: Yoga, religião, etc., são antídotos ao sofrimento?
Maharshi: Quem sofre? O que é sofrimento?

(Depois dessa pergunta, não houve resposta. Yogananda se levantou, pediu as bençãos de Sri Ramana Maharshi para seu próprio trabalho e expressou grande arrependimento por ter que voltar. Ele parecia bastante sincero e devotado e mesmo emocionado.)

//////////

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

3 Comentários

Deixe uma resposta para ADRIANO GONÇALVES GOTT Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *