Holoplex: uma explicação para a vida humana e seus mistérios no livro-síntese do brasileiro Fábio Novo

“Holoplex é para quem quer se conhecer melhor, ampliar a holovisão, aprofundar a percepção, expandir a consciência e transformar a si mesmo e ao mundo em que vive.” Essa é uma parte da introdução que o terapeuta e professor Fábio Novo dá ao seu primeiro livro, “Holoplex – energia & consciência & evolução: uma síntese integral“, que será lançado em São Paulo no próximo sábado, dia 22/06 (mais detalhes aqui). O livro é uma obra incomum, traz explicações e a visão do autor sobre várias das questões mais instigantes da vida humana, como nossos dramas, nossa consciência, energias, reencarnação, sonhos, e diversas outras coisas. Fábio é um amigo e leitor do blog, e numa pequena sequência de perguntas e respostas sobre seu livro (veja abaixo), falou gentilmente de onde vêm o amplo conhecimento que está trazendo, explica alguns trechos da obra e indica como acredita que podemos nos reconectar com nossa essência. Além disso, Fábio liberou o capítulo inédito sobre Sonhos (veja aqui), em pdf — além do já liberado publicamente capítulo inicial do livro, “Holodrama” (aqui).

Ex-diretor de marketing da MTV, Fábio é professor da FIA-USP, terapeuta e coach. Participou do TEDxDaLuz em 2011 – é possível ver a apresentação dele no YouTube (14min) – e lá contou mais detalhes de sua trajetória de mudanças do mundo corporativo para o mundo da terapia, meditação e agora dos livros. Em seu site, ele diz que, depois de uma crise espiritual repentina, largou “o emprego, a profissão, os 15 anos de carreira e decidi empreender uma jornada de autoconhecimento e autocura que me levou a mudar radicalmente meu estilo de vida e a viajar por Portugal, Espanha, Marrocos, Tailândia, Mongólia, China, Burma, Nepal, Bahamas e Brasil fazendo os mais variados cursos, terapias e retiros espirituais”.

Confira neste post o capítulo inédito do Holoplex, sobre Sonhos, onde você pode fazer o download em pdf.

Segue abaixo a entrevista.

ENTREVISTA COM FÁBIO NOVO:

1) Qual é a proposta do livro? O que as pessoas podem esperar ao ler o Holoplex? No site, você diz que é “é para quem quer se conhecer melhor, ampliar a holovisão, aprofundar a percepção, expandir a consciência e transformar a si mesmo e ao mundo em que vive”. É bastante coisa, né? O que ele traz? É um método? Uma filosofia?

FÁBIO NOVO: É bastante coisa, especialmente se vc considerar estas coisas separadas entre si, o que não são. Porque quando vc se conhece melhor, naturalmente está ampliando a sua visão do todo. Ao amplificar a sua visão, estará expandindo a autoconsciência mas, para tanto, será necessário ter aprofundado a sua percepção sobre si mesmo. E, ao fazê-lo, terá automaticamente se transformado e, ao se tranformar, estará transformando o mundo. Ou seja, numa visão holográfica da consciência, da existência e do universo, tudo está hiperconectado, em múltiplas dimensões simultâneas. E é esta a proposta do livro, apresentar uma nova visão e uma nova abordagem para o desenvolvimento humano integral – a HoloSíntese.

2) A abertura do primeiro capítulo contém a descrição de um processo de vivificação humana, ou encarnação, que parece ter influência de várias filosofias e ciências ancestrais e também contemporâneas. Você diz: “é mais ou menos assim que iniciamos nossa vida aqui na Terra”. De onde vem isso? É aquilo que você mais acredita com base no que já leu e percebeu, é algo que você intui ou é algo que você sabe e pode afirmar de fato que é? Como fazer com que uma outra pessoa, além de você, consiga saber que a vida é assim e que seu vir-a-ser passa por esse tipo de coisa que você descreve?

FÁBIO NOVO: A HoloSíntese é uma síntese criativa de conhecimentos espirituais, psicológicos, científicos e intuitivos. Usei como referencia e balizador da maioria das informações sintetizadas no livro a minha própria experiência. Isto é, me sinto a vontade de falar sobre chakras, por exemplo, porque já tive experiências pessoais onde puder ver claramente os chakras funcionando. A maioria dessas experiências aconteceram entre 1999 e 2004, período em que passei por um intenso processo chamado “emergência espiritual”. Na ocasião, tinha experiências fora do corpo (as chamadas viagens astrais, ou projeções da consciência), praticamente todas as noites. Somente mais tarde, ao começar a escrever o livro, em 2008, compreendi que o propósito desse processo era ter vivências práticas que poderiam validar as propostas, ideias e visões apresentadas no livro. Portanto, é daí, da integração criativa entre teoria e prática, e entre passado e futuro, que emerge a visão holossintética.

3) Com o ceticismo materialista tão forte no mundo hoje, qual o efeito que você acredita que a leitura do Holoplex vá causar? O público ateu ou cético materialista vai ler seu livro? Você espera que leiam? Qual seria a melhor maneira de uma pessoa confiar que a tua holovisão é a realidade?

FÁBIO NOVO: A experiência pessoal – seja fruto de uma crise, de uma doença, de uma sincronicidade forte, ou mesmo de um processo de despertar espiritual – é o acontecimento com maior potencial de transformacão que uma pessoa pode ter. A partir daí, é natural que ela busque informações que a ajudem a compreender o que está acontecendo. Neste ponto, uma plataforma integrada de conhecimentos psico-energéticos e espirituais, pode ajudá-la a se encontrar e a organizar o seu processo evolutivo pessoal. Mas não espero, e nem quero, que as pessoas acreditem cegamente em tudo o que digo. Muito mais importante para mim é que elas se sintam inspiradas a ter experiências e tirarem as suas próprias conclusões. No livro, eu apenas compartilho a minha visão, ou seja, como eu vi o que eu vi, como eu organizei o que eu aprendi, e como eu traduzi o que eu vivi.

4) Você fala que, antes de virmos pra Terra, estávamos em um estado de “auto-consciência quase total (…), com um alto grau de discernimento sobre a realidade e sobre nós mesmos”. Se tínhamos isso tudo já, que parece ser algo que objetivamos na vida, porque escolhemos perder para recuperá-lo? Se temos alto grau de discernimento e auto-consciência quase total, deveríamos saber que a vida na Terra é difícil, que os seres vivos aqui tem seu nível de lembrança e contato com a essência profundamente prejudicados, ao ponto da maioria perder o contato totalmente por toda uma encarnação… ainda assim, porque decidiríamos perder tão alto nível para recuperá-lo? Não há nenhum tipo de evolução envolvida? Por que a vida na Terra seria melhor do que a vida no mundo espiritual? Seu livro explica isso?

FÁBIO NOVO: No período entre vidas, quando estamos no mundo espiritual, livre do peso da matéria e fora do campo condicionado da dualidade terrena, costumamos ter mais clareza e maior discernimento sobre nós mesmos e sobre o melhor caminho para continuarmos a nossa jornada evolutiva. Por ser a experiência física a mais densa e mais desafiadora, acabamos escolhendo voltar para a Terra pois percebemos que, uma conquista por aqui, equivale a 10 no mundo sutil. Ou seja, é uma estratégia de crescimento acelerado. Portanto, a experiência na Terra tem por propósito, genericamente falando, o aprendizado e a evolução da consciência, tanto individual como coletiva. O fato de esquecermos o passado ocorre devido à nossa imaturidade para lidar com estes conteúdos, embora hoje em dia, esta informação esteja cada vez mais acessível, haja visto os processos das terapias regressivas. O que mostro no livro é um mapa global sobre o processo evolutivo, o que nos ajuda a organizar toda esta informação.

5) Todos falam que vivemos uma era de transição, e você também fala disso, com adjetivos de impacto, dizendo que estamos num “alarmante estado de fragmentação e desconexão interna”. O que você acredita que um ser humano pode fazer para se reintegrar e se reconectar internamente? Como terapeuta, qual a maneira mais eficiente (ou mais de uma, se houver) que você vê para que cada um de nós se desintoxique e volte a contactar sua essência, e, consequentemente, ajude na reequilíbrio do mundo? Por que você acredita que as maneiras já sugeridas por escolas de sabedoria, medicinas e ramos da psicologia não foram suficientes para nos livrar dessa crise? Qual a contribuição do Holoplex nesse panorama?

FÁBIO NOVO: Eu respeito muito o trabalho de terapeutas, pesquisadores da consciência, místicos, cientistas, curadores, filósofos e de todos aqueles que ao longo da nossa história buscaram, cada qual a sua maneira, encontrar um caminho para libertar o ser humano da ignorância e do sofrimento. Acho que sem eles estaríamos bem pior. Mas o universo está constantemente evoluindo e nós tambem precisamos evoluir em nossas formas de ver o mundo, de nos conhecer e de nos curar. Por isso, o propósito da HoloSíntese é sintetizar a sabedoria ancestral ao conhecimento contemporâneo com uma linguagem mais atual, respeitando o passado, intuindo o futuro, e aplicando tudo isso no presente, agora. Viver no presente talvez seja é o caminho mais rápido para se conectar e se reequilibrar.

//////////

Assuntos desse conteúdo
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

8 Comentários

Deixe uma resposta para Parvati Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *