“Prece do COVID”, por Alan Zenkar: o chamado do nosso profundo sono da ignorância

A um certo ponto do estouro dessa pandemia e do isolamento social em praticamente todos os países, e de tantas vidas que o COVID-19 estava levando de maneira tão repentina e assustadora, me ocorreu o pensamento de quantas vidas o vírus poderia “salvar”. No sentido de despertar do modo de vida robótico, infeliz, inconsciente, destrutivo, incivilizado e doentio (sic). O movimento de isolamento, os sacrifícios feitos, as dificuldades, os medos, isso tudo parece ter provocado, ao menos em algumas pessoas, uma conscientização séria que pode gerar mudanças positivas. Talvez aconteçam, talvez não aconteçam, mas a situação tem se mostrado cada vez mais transformadora.

Neste domingo, no templo de Budismo Tibetano em São Paulo, chamado Chagdud Gonpa Odsal Ling, fundado pelo mestre Chagdud Tulku Rinpoche, Lama Tsering Everest leu uma prece chamada “Prece do COVID“, escrita por um mestre Alak Zenkar. Uma prece que endereça as dificuldades e sofrimentos do COVID, mas também invoca o poder do esclarecimento e do despertar, de uma vida mais consciente e dhármica.  Ao mesmo tempo em que a prece reconhece que a doença nos deixa tristes, ela é “um chamado para despertar do nosso profundo sonho da ignorância“. Um chamado à união, ao cuidado, à liberdade, à virtude, ao amor.

A prece segue abaixo traduzida na íntegra.

//////////

COVID PRAYER (“Prece do COVID”)
Por Alak Zenkar (Thupten Nyima Rinpoche)

Essa doença Corona estraçalha nossa montanha de orgulho.
Essa doença mata nossos grandes desejos.
Essa doença é um chamado para despertar do nosso profundo sonho da ignorância.
Essa doença nos deixa tristes e ressentidos com a vida.
Essa doença nos lembra da morte a da impermanência.
Essa doença nos faz entender as ações virtuosas e as malignas.
Essa doença nos faz retirar-nos e recitar mantras.
Essa doença nos inspira a desenvolver amor para os outros com compaixão.
Essa doença é como nosso mestre espiritual.
Essa doença é como o próprio Dharma sagrado.
Essa doença é como nosso perseguidor.
Essa doença nos torna muito limpos e higiênicos.
Essa doença lhe lembra da gentileza do seu médico enquanto você estava doente.
Essa doença deu nomes de coragem aos benevolentes voluntários.
Essa doença ensinou a você o viver e o viajar cuidadosos.
Essa doença lhe tornou consciente de alimentos e bebidas saudáveis.
Essa doença lhe fez reconhecer a causa da felicidade e do sofrimento.
Essa doença uniu as pessoas.
Essa doença abriu a porta da Liberdade.
Essa doença parou as brigas e pacificou o mundo.
Essa doença pode trazer muita riqueza ao transformar as forças negativas.
Que essa doença possa ser a causa da iluminação.
Que ela possa pacificar todas as doenças, causas negativas e obstáculos.
Que ela possa purificar os carmas negativas e a mácula dos pecados.

Traduzido para o inglês por Bhaka Tulku.
Para o português brasileiro por Luiz Fernando Pereira.

//////////

Alak Zenkar Rinpoche nasceu em Lhagang, Sichuan, China, em 1943. Quando tinha 3 anos de didade foi reconhecido como a reencarnação de Zenkar Rinpoche, a emanação de Do Khyentse Yeshe Dorje, que era a emanação da mente de Jigme Lingpa. Rinpoche estudou na tradição Nyingma tradition na Dzogchen and Dodrupchen, e na tradição Sakya na Dzongsar. Ele fez contribuições extraordinárias para a cultura e a educação tibetanas e é reconhecido como um ícone do ensino do Budismo Tibetano.

//////////

Arte de Lucian Harb?d? (@lucianharbada).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *