O egocasting e a liberdade

Matéria riquíssima sobre os caminhos que estamos escolhendo com a tecnologia moderna, publicada na Wired, que começa da seguinte maneira: “We have moved beyond (broadcasting and) narrowcasting into ‘egocasting‘ – a world where we exercise an unparalleled degree of control over what we watch and what we hear,” writes Christine Rosen in The New Atlantis: A Journal of Technology and Society.” O Dr. David Frawley é que dizia que *o homem moderno ocidental busca a liberdade material para conquistar seus desejos, e não a liberdade espiritual para transcendê-los*”. A sociedade moderna triunfa ao buscar a liberdade material, isso é óbvio, e esse “controle egocástico” demonstra como estamos evoluindo em banda larga nessa direção. Mas no mundo capitalista de livre mercado isso muitas vezes é apenas uma premissa (“correta”) para a escravização pelo desejo. Hoje, esse desejo é por imagem. Magro, bonito, cult, cabeça-feita, independente, bem-sucedido, pc, rico, geek, dark, resolvido, zen, sarado, eclético, etc. Não é nem um desejo autêntico, de uma vontade pessoal genuína. É de consumismo ininterrupto, de não-auto-aceitação, de adequamento robótico – um desejo fraco, sem dúvida, passivo, imposto. Inconsciência. Veja, nada disso que eu digo é anti-liberdade material, pelo contrário. O egocasting existe e é uma evolução da civilização moderna, mas mais evoluído é o sujeito que realmente controla esse egocasting, que controla o desejo e que sabe a imagem que estão lhe vendendo. Ou seja, o desenvolvimento em paralelo da nossa *liberdade espiritual* é a saúde e a sanidade dessa realidade. Não é o apocalipse (eu acho), mas a busca consciente da liberdade real e a não-indulgência nas liberdades insuficientes é o próximo degrau. E ele chegou. Enquanto nós precisarmos comprar tudo que não precisamos e quisermos ser tudo que não somos, evitando a aceitação e a liberdade genuína, continuaremos cada vez mais escravos desta deficiente liberdade material.

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

5 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *