Meditação andando com Thay, “como peixes querendo finalmente assumir a alegria de ser peixes”

Cinquenta pessoas em retiro caminham em direção ao cume de uma montanha na California, junto do mestre Thich Nhat Hanh (carinhosamente chamado de Thay), há alguns anos. Uma delas, ao retornar, conta a experiência em forma de poema. Tess Gallagher, poeta e tradutora americana, escreveu e publicou o poema “Walking Meditation with Thich Nhat Hanh” no seu livro “Dear Ghosts: Poems”, em 2008. Segue abaixo a tradução livre feita por este blog. O poema original em inglês pode ser lido aqui.

Sem querer adiantar nem “explicar” o poema, tomo a liberdade de apenas salientar um dos aspectos capturados ali de maneira muito interessante. Ainda que esteja ali parte da descrição da subida, da prática e da presença de Thay, o que o poema exala é o movimento da consciência respirando a experiência, a experiência da compreensão, das simultaneidades, da interconectividade, da unicidade, da visão da realidade que é transformada a cada passo, profundamente dado. “Inútil falar da paz alcançada” (não é sobre o alcance). É a consciência perdendo-se dos limites da individualidade, vendo e experimentando as coisas da realidade. Leia e respire por si mesmo.

Eis o poema “Meditação Andando com Thich Nhat Hanh“:

Cinquenta de nós seguem-no livremente
montanha acima no Monastério Parque dos Veados.
Estamos na câmera lenta de um sonho
levantando a sombrancelha do sonhador. Passo
a passo e o corpo surgindo deles
como fumaça de um fogo
com muitas pernas. Gradualmente as chamas
morrem e a terra está finalmente abaixo de nós.
Dentro da montanha uma centopéia rasteja
sem cima e sem baixo.

Nossas meditações
oscilam e nos recuperam, oscilam
e nos trazem de volta a nossos corpos
como peixes querendo finalmente assumir a alegria
de ser peixes, dentro ou fora da água.
Quando ao final nos reunimos no cume
e sentamos com ele
sabemos que tínhamos movido a montanha
para seu topo tanto quanto ela tinha nos carregado
profundamente para dentro de cada passo.

Ao descer é a mesma coisa
Respiramos e damos um passo. Respiramos
e damos um passo. Um ser de muitos tentáculos
dentro e fora deste mundo. Inútil
contar a você da paz alcançada.
Saia de seus pés.
Sua respiração. Entra
a montanha.

Tess Gallagher, “Walking Meditation with Thich Nhat Hanh” (tradução: Nando Pereira).  

Arte: “Walking Meditation III,” de Jenny Waelti-Walters.

Compartilhado por A Year of Being Here.

//////////

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *