“Nosso principal trabalho não é aprender a amar, mas desaprender a odiar”: Sri Prem Baba

“A essência do ser humano é o amor. Mas, por conta dos choques de abandono, exclusão, humilhação e rejeição, nos esquecemos de amar e aprendemos a odiar. Por isso tenho dito que nosso principal trabalho não é aprender a amar, mas sim desaprender a odiar.”
Sri Prem Baba (11.07.2015)

11692488_822983454482234_4109887013262728221_nNum evento terapêutico recente que participei ouvi da terapeuta que coordenava o trabalho uma citação de Sri Prem Baba que dizia o seguinte: “A rosa dá flor, o ser humano ama“. Essa seria a função, a natureza, o propósito do ser humano. Nesse contexto, se ele (o ser humano) não ama, não dá flor, fruto, não flui com sua natureza, então deve estar havendo algum problema, algum empecilho sério, e isso, segundo Prem Baba, é o ódio. Em um trecho de um Satsang de 2001, que segue mais abaixo, Prem Baba também usou a palavra “desamor” (como sinônima de ódio), aqui mais no sentido daquilo que gera as restrições ao fluir natural do amor.

O principal truque de Maya é restringir a sua capacidade de amar“, ele diz. Mas talvez Maya nao restringja de fato, ela só nos induza a restringir, pois a restrição, por si mesma, não existe. Como escreveu Adyashanti no post anterior, o Amor está sempre disponível — “E ainda assim o amor irá esperar / até que você possa parar / de se contar a mentira da negação.”

Para parar de odiar, ou de agir com desamor, é necessário perdoar. O outro, os outros, a si mesmo. Às vezes até “o mundo”, como entidade simbólica à qual às vezes delegamos culpa ou responsabilidade por sofrimentos ou situações difíceis que passamos. “Mazelas do passado“, resume Prem Baba. O que quer que tenha que ser perdoado, sem o perdão o amor não conseguirá fluir. Nossa natureza não acontecerá. Não haverá amor.

Segue o trecho do Satsang de Sri Prem Baba na Índia em 2011. Na íntegra aqui.

//////////

SATSANG 2001, ÍNDIA.
Por Sri Prem Baba

“Esse é o principal ensinamento de Sachcha Baba: amar a todos, tanto aqueles que também te amam quanto aqueles que te odeiam. Quando puder absorver esse aprendizado, você se libera. É justamente a dificuldade de absorver esse aprendizado que fortalece o véu do esquecimento da sua real natureza. O principal truque de Maya é restringir a sua capacidade de amar e fazer com que você ame somente aqueles que te amam, aqueles que atendem as suas expectativas. Isso é muito limitado e de forma alguma é você. A sua capacidade de amar é infinita. Você é como o sol que ilumina a todos por igual. O sol não escolhe quem vai iluminar: se é pobre ou rico, se é feio ou bonito, se é inteligente ou fechado como um tijolo. Ele ilumina a todos. Você é como o sol. Você é como a água pura que mata a sede de todos os seres viventes. Mesmo que você esteja contaminando a água com a sua ignorância, ela continua matando a sua sede.

Esse é o principal ensinamento de Sachcha Baba. Se você consegue absorver esse aprendizado, você se libera.

Falar sobre o perdão é um fenômeno mental, mas experienciar o perdão é um fenômeno espiritual. No plano do coração não há o que perdoar porque você não se sente ofendido. Você compreende que a entidade ainda esta envolvida pelo véu da ignorância e por isso ela te ataca. É somente ignorância. A principal qualidade do santo é amar a todos. Se você está sentindo essa atração por mim, é porque está nesse caminho, no caminho da santidade, no caminho de santificar-se, o que significa amar a todos.

A impureza a qual eu me refiro muitas vezes é o desamor que ainda existe no coração devido às mazelas oriundas do passado. As mazelas restringem a sua capacidade de amar. Elas fazem de você limitado. Ela faz com que você ame apenas um ou outro, somente aqueles que atendem as suas expectativas. Isso é muito limitado. Você pode muito mais. E o fato de você não estar expressando a sua total capacidade é o motivo do seu sofrimento. Em última analise, o sofrimento é o amor guardado, o amor trancado. Isso gera sofrimento. Você está contendo o seu brilho e a sua luz. Você está se limitando por conta das suas marcas do passado que o fazem ter medo de se abrir nesse grau. A sua mente está condicionada a acreditar que, se você se abrir vai se machucar. Você está programado, condicionado a se defender, se proteger, se vingar. Tudo isso são condicionamentos da sua mente. Isso é superficial, ainda não é você. O seu coração é uma fonte inesgotável de amor.

Quando esse véu de Maya está sobre o seu coração, restringindo a sua capacidade de amar, você se esquece dos seus talentos.”

//////////

Foto: Sri Prem Baba no Facebook.

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *