Se não existe tal coisa como a morte, porque é errado matar? “Muito boa pergunta”, diz Thich Nhat Hanh [VÍDEO]

Enquanto todo mundo estava indo, esse jovem do retiro da Plum Village, na França, estava voltando com essa curiosa pergunta, no rastro dos ensinamentos que dizem que a morte seria uma ilusão, assim como o nascimento, pois então: “Se a morte não existe, porque é errado matar?“. O monge Zen vietnamita Thich Nhat Hanh dá um sorriso, diz que é “muito boa pergunta” e, em cinco minutos gravados no vídeo abaixo, explica porque mesmo não existindo morte no sentido como a conhecemos, há ignorância, violência e sofrimento na ilusão de quem acha que vai matar. Enquanto todos olhavam pra fora, Thay olhava pra dentro.

Não canso de ver essas sessões de Perguntas & Respostas com Thich Nhat Hanh. Primeiro porque sempre aparecem questões interessantes, principalmente das crianças e dos jovens, e depois porque Thay sempre traz algo novo, seja na sua visão ou no seu jeito de abordar a resposta.

O vídeo possui legendas embutidas em inglês, para usar a tradução automática para o português que há disponível, clique em Captions (ícone branco e retangular no canto inferior direito do vídeo), selecione “Translate Captions” e escolha Português. Violá!

//////////

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo capital.

1 Comentário

  • Muito inteligente da parte do mestre explicar desta forma. Mas ainda assim, este não é o ponto. Além de o sujeito, que tem a aspiração de matar, sofrer antes, durante e depois do ato nesta manifestação, ele gerará um impulso karmico em alaya vijnana e quando as condições externas e internas estiverem férteis, ele sofrerá a mesma experiência que causou ao outro ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *