A vida como uma confusão ou como um enredo: a tese de Joseph Campbell, inspirado por Schopenhauer

“Na verdade, algumas vezes eu quase pensei – quase pensei – “Jeez, eu queria que alguém me dissesse o que eu tinha que fazer”, esse tipo de coisa. A liberdade envolve tomar decisões, e cada decisão é uma decisão de destino. É muito difícil encontrar no mundo externo algo que o seu sistema interno está anseando. Minha sensação agora é que eu tive uma vida perfeita: o que eu precisava apareceu exatamente quando eu precisava. O que eu precisava então era uma vida sem emprego por cinco anos. Foi fundamental.

Como Schopenhauer disse, quando você olha pra trás na sua vida, parece como se fosse um enredo, mas quando você está dentro dela, é uma confusão: uma surpresa atrás da outra. Então, mais tarde, você vê que era perfeito. Por isso tenho uma teoria que se você está no seu próprio caminho, as coisas virão a você. Uma vez que é seu próprio caminho, e ninguém jamais esteve nele antes, não há precedente, então tudo que acontece é uma surpresa e é oportuno”.
~ Joseph Campbell, em “A Joseph Campbell Companion: Reflections on the Art of Living” (Joseph Campbell Foundation, 1991)

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

3 Comentários

  • Esse foi um dos melhores posts que li aqui!
    Todos são bons, mas esse casou perfeitamente com o momento que estou vivendo! Uma fase bela, que percebo que tudo acontece como tem de acontecer! Obrigada por esse texto delicioso! Beijos e paz a todos!

  • Creio que é simples, e por ser tão simples, como a vida, parece complexo.
    Quando estamos no meio de um transtorno,de uma turbulência, não temos isenção de ânimo para avaliarmos o que está acontecendo, porque as emoções são fortes e impedem uma leitura interior clara. Passada a tormenta, vemos o que aconteceu e chegamos à conclusão de que aquilo era o certo para nós, mesmo que não consigamos aquilatar o valor real dos fatos em todas as suas causas e consequências. Na alegria ou na tristeza o que vivenciamos é o que criamos em nossa mente, e o que precisamos experienciar para nossa evolução.

  • Nossa, sensacional. Joseph Campbell, além de um homem cultíssimo é a sabedoria em pessoa. Ele é um dos poucos autores que quando leio me sinto satisfeito em diversas esferas: intelectual, emocional, sabedoria…

Deixe uma resposta para Felipe Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *