Quanto mais sentimos desaprovação, mais “praticamos” desaprovação: a vida na prática, por Pema Chödrön [TRECHO]

“O doloroso é que quando nós caímos em nossa desprovação, estamos praticando a desaprovação. Quando somos duros, estamos praticando ser duros. Quanto mais fizemos isso, mais fortes essas qualidades ficam. Que triste é ver que nos tornamos tão bons em causar danos a nós mesmos e aos outros.

A resposta então é praticar bondade e desprendimento. Podemos aprender a conhecer o que quer que apareça com curiosidade e a não fazer um estardalhaço por isso. Ao invés de nos debatermos contra a força de confusão, podemos conhecê-la e relaxar. Quando fazemos isso, vamos gradualmente descobrindo que a clareza está sempre lá. No meio do pior cenário da pior pessoa do mundo, no meio de um diálogo pesado com nós mesmos, o espaço aberto está sempre lá.”

~ Pema Chödrön, em “When Things Fall Apart: Heart Advice for Difficult Times” (p.27)

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

6 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *