A técnica dos 10 Minutos, de David Kadavy, para fazer o que tem que ser feito e resolver a “equação procrastinação”

O problema da procrastinação, seja com tarefas ou projetos, não é exatamente o tamanho (em esforço ou tempo) nem a exigência da atividade, é simplesmente começar. E nem sempre conseguimos explicar porque não começamos. “Graças a Deus, achei uma ótima técnica para dar início às coisas. Chama-se a Técnica dos 10 Minutos“, diz o designer americano David Kadavy, falando do que teve que inventar para conseguir começar a escrever seu primeiro livro. Num post publicado no site Lifehacker, The 10-Minute Hack (“A Técnica de 10 Minutos”), David nem precisa explicar muito o que isso é, porque o truque é ser simples.

“Todo dia, depois de acordar, tão logo quanto possível – antes de comer, antes de tomar banho, antes de checar email (mas não antes de meditar) – eu escolho uma tarefa, coloco meu timer no iPhone para 10 minutos, e trabalho nela sem parar”, explica ele, revelando que o truque é apenas prioridade temporal no início do dia – provavelmente porque é quando o tanque de energia está no cheio.

Essa solução de David concorda com o que sugere “um dos maiores especialistas em procrastinação do mundo” (segundo a ScienceDaily), Piers Steel, professor de Recursos Humanos e Dinâmica Organizacional da Universidade de Calgary, e autor do livro “The Procrastination Equation: How to Stop Putting Things Off and Start Getting Stuff Done” (A Equação Procrastinação: Como Parar de Adiar as Coisas e Começar a Fazer). Uma de suas recomendações é usar o que chama de nossas “Horas de Força“, ou Power Hours, um período que a mente e o corpo tem mais energia devido ao ritmo circadiano interno (geralmente entre 10 da manhã e 2 da tarde). Segundo Piers Steel, a procrastinação é um “mal” que atinge 95% das pessoas – ou seja, provavelmente você e eu estamos nessa conta.

Talvez, em 10 minutos, algum trabalho importante consiga ser realmente feito. “Quanto trabalho você pode fazer em apenas 10 minutos? Uma quantidade surpreendente, realmente, mas essa não é a questão”, diz David. “A questão é que você começou“.

Assuntos desse conteúdo
, ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

6 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *