O dharma segundo o Ayurveda: o caminho natural da evolução de uma pessoa, por Deepak Chopra

Um dos conceitos mais importantes a respeito da realidade ensinados pelas escolas orientais, principalmente do Yoga e do Vedanta, é o do “dharma“, que também tem um importantíssimo papel no sistema do Ayurveda, a ciência da vida indiana. Nesse trecho tirado do livro “Energia Ilimitada”, do médico e autor Deepak Chopra, e publicado originalmente no blog co-irmão “Vida Plena e Bem Estar” (“O Dharma Segundo o Ayurveda“), da colega Sah Elizabeth, Deepak explica o papel que o Ayurveda vê no dharma em níveis pessoal e universal, e como o “agir verdadeiramente dhármico” traz tudo para a nossa vida: de saúde perfeita à felicidade à auto-realização.

Para outras definições do conceito de “dharma” você pode ver na página “Sobre o Dharma“.

//////////

Energia Ilimitada (Boundless Energy)
Por Deepak Chopra

“Existe no Ayurveda um importante conceito relacionado com a evolução humana individual, que é a noção do dharma. O dharma pode ser traduzido como o caminho natural, o comportamento natural ou o dever natural da pessoa. Ele se refere ao fato de que cada pessoa possui um curso de ação que é o mais correto e gratificante para ela, um caminho que produz a maior felicidade e a evolução mais rápida.

O dharma encerra dois aspectos: um deles é universal, que é alcançar a totalidade na vida. Isso está inserido no sistema mente/corpo; está inserido no nosso DNA. Cada geração herda o impulso interior de se desenvolver a partir da geração anterior. Todos nós possuimos esse impulso de alcançar o potencial pleno, tanto mental quanto fisicamente. Sob o aspecto físico, isso significa ter um saúde perfeita, emocional e psicologicamente, que visa alcançar o estado de estabilidade, criatividade e satisfação que chamamos de autorrealização. O Ayurveda o chama de “iluminação”.

Ao lado desse dharma universal, existe também um dharma individual. Trata-se do curso de ação mais apropriado para cada ser humano e que o ajudará a atingir mais rapidamente a meta da totalidade da vida. Ser piloto de uma companhia de aviação ou general do exército pode proporcionar para algumas pessoas a oportunidade perfeita para o crescimento. Outras podem sentir necessidade de serem donas de casa ou professoras. Mas quando a ação é verdadeiramente dhármica, ela dá a impressão de ser perfeita em cada caso; ela parece natural e gera felicidade.

O dharma individual pode mudar com a passagem do tempo. É dhármico para quase todas as pessoas, por exemplo, serem solteiras na fase em que estão crescendo e frequentando o colégio, mas o dharma de quase todo mundo é a vida familiar.

Os interesses ocupacionais e até mesmo as tendências do estilo de vida podem mudar em diferentes épocas da vida, quando completamos uma fase do dharma e entramos em outra.

Acima de tudo, o dharma está destinado a ser um veículo para o despontar da felicidade da totalidade e da saúde. Se uma certa ação é correta e natural e se está na direção da evolução – o sistema mente/corpo experimentará uma sensação de conforto, satisfação e até mesmo de contentamento ao executar essa ação. Mas se uma atividade impede o caminho da evolução, isso se expressará como um desconforto físico e emocional, que frequentemente assume a forma de fadiga crônica.

O que você deve fazer para descobrir seu dharma? No início, é extremamente importante reconhecer que o dharma universal e o dharma individual alimentam e sustentam um ao outro. Se estiver confuso com relação ao que possa ser seu dharma individual, você deve dirigir a atenção para o desenvolvimento do seu dharma universal – para o desenvolvimento da autorreferência e da totalidade.

Todos os procedimentos e técnicas desse livro (Energia Ilimitada) o ajudarão a estabelecer o equilíbrio da mente e do corpo. Eles o colocarão mais em contato com seus recursos internos de criatividade e inteligência. Com essa perspectiva mais ampla e criatividade mais intensa, você começará naturalmente a encontrar mais satisfação na vida. Reconhecerá as oportunidades mais evolucionárias e criativas em cada situação, e será capaz de extrair o máximo delas.

No processo de crescimento, você poderá até mesmo concluir que certas coisas deveriam mudar, talvez na sua linha de trabalho ou nos seus relacionamentos. Mas a mudança será natural, baseada na perspectiva mais ampla e na maior criatividade que você agora é capaz de trazer para sua situação. Suas ações estarão cada vez mais em sintonia com sua natureza interior e com seu dharma individual.”

Assuntos desse conteúdo
, , ,
Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog, terapeuta na Hridaya Terapia (São Paulo) e proprietário do Dharma Office.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *