Ex-jogador Casagrande expõe detalhes de sua dependência química na TV e presta serviço de consciência e ajuda

A participação do ex-jogador e comentarista de futebol da TV Globo Walter Casagrande no programa Domingão do Faustão de ontem foi um importante ato de serviço público: ao contar detalhes psicológicos de sua história de dependência química, desde quando parou de jogador futebol, e 1991, seu acidente de carro em 2007, que o levou à internação numa clínica de desintoxicação, Casagrande deve ter feito muitos de nós entendermos um pouco mais como é difícil sair do vício e como a ajuda das pessoas mais próximas (neste caso, a família) é vital. A exposição da família e de várias situações que o levaram a ser internado pode se confundir com manobra sensacionalista, mas mostra como uma escolha pessoal irresponsável abala várias pessoas ao redor do viciado e, apesar de Casagrande ter uma família apoiadora e filhos lúcidos, nem todo mundo tem essa sorte.

A história até agora feliz da desintoxicação de Casagrande faz pensar em quantas famílias não tem filhos que vão entender o que acontece com um pai, que vão se sentir rejeitados e traídos pros restos de suas vidas (sem conseguir viver direito por causa da decisão de uma outra pessoa), faz imaginar quantas pessoas não terão a capacidade financeira de se tratar e sair com lucidez de um processo de dependência química que destrói as forças de um ser humano, faz refletir em como nossas estruturas interiores são importantes pra enfrentar todas as crises. E, não menos importante, como o próprio Casagrande diz no programa, faz pensar como muitos de nós usam álcool ou mesmo chocolate para cobrir vazios de felicidade e compensar sofrimentos inconscientemente, alimentando uma fraqueza e atrofiando a força interior.

O vídeo da participação de Casagrande no programa segue abaixo (33min46seg), e, apesar de ser um pouco longo, vale a pena assistir, principalmente alguns depoimentos como o dos filhos, o do locutor Galvão Bueno e o dos pais de Casagrande.