A tinta da sua parede e o trabalho infantil

Ninguém é a favor do trabalho infantil, isso é óbvio. E fácil de dizer. Mas se você paga alguém que é a favor, você está na cadeia de quem é a favor. Isso também é óbvio.

Aí você vai pintar a sua casa. Uma tarefa simples. Você não quer se incomodar. E, entre as tintas Coral e Suvinil, escolhe qualquer uma das duas. Pronto, você acaba de entrar para o grupo dos que apóiam o trabalho infantil. Não adianta dizer que é indiretamente, pq a cadeia de trabalho infantil depende dessa escolha inconsciente, o seu dinheiro é o que paga a “empresa clandestina” que essas grandes empresas de tintas contratam. É um dos “tantos/avos” que faz a caixinha da exploração infantil.

Mas aí eu vou ficar sem pintar a minha casa? Não, né. Só vai ficar se você tiver preguiça de pensar, por uns 15 minutos pelo menos, o que, no fim das contas, é preguiça de viver. Neste caso, pode ficar sem pintar a casa, vai dar no mesmo. Se quiser pintar a casa, basta escolher direito, de olhos abertos, e sabendo dos fatos.

Esta denúncia das tintas está sendo feita pelo Observatório Social na reportagem de Marques Casara (versão pdf, 2 MB), realizada na cidade de Ouro Preto, e publicada na revista do Instituto. Mais uma chance de entrar na era dos cidadãos esclarecidos, onde se pratica um mundo melhor, mais humano, orgânico e saudável. A chance nos é dada pelo trabalho dhármico do IOS, quase heróico, de medir o tamanho da exploração que nós estamos impondo ao planeta e a nós mesmos, às nossas crianças.

Ninguém é suficientemente bem informado se não prestar atenção ao que intoxica nossas crianças e criminaliza nossos adultos. Da próxima vez que você escolher, escolha.

Escrito por

Jornalista autor do Dharmalog e terapeuta na Hridaya Terapia, em São Paulo.

1 Comentário

  • é isso aí. muita gente acha que não influencia em nada comprar ou deixar de comprar um produto de uma empresa com esse tipo de atitude… ou que não adianta reclamar. mas – mesmo se considerarmos que efetivamente não faz diferença um produto a menos – se eu deixo de comprar estou deixando de apoiar isso. e adianta, sim. há uma grande diferença entre apoiar e não apoiar o trabalho infantil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *